Quem quer tramar a democracia?


Vale a pena reflectir sobre a posição do PSD, partido que julgávamos extinto, após o início da pré-campanha presidencial, em relação ao PGR. Quanto ao «outro partido», anda por aí de rastos, sem alternativa ao voto no candidato da direita.

O PSD já pôs a circular que o PS se prepara para demitir o Dr. Souto Moura, antes das eleições presidenciais, para evitar que Cavaco Silva o reconduza. Depois dos escândalos que o atingiram, não na sua honra individual mas nas funções que desempenha, o PGR já devia ter tomado a iniciativa de se demitir sem esperar que outra assessora viole o segredo de justiça nem que lhe dêem mais informações falsas, v.g.: «O Sr. Carlos Cruz não está a ser investigado».

É evidente que ninguém acredita na recondução do actual procurador-geral a quem os erros próprios e as circunstâncias adversas impedem a manutenção no cargo. Ninguém compreenderia que o PGR, que deixou assassinar Ferro Rodrigues e Paulo Pedroso, pudesse ser reconduzido.

O que o PSD pretende não é a manutenção do actual PGR, é um conflito entre o próximo PR e o primeiro-ministro, na convicção de que será Cavaco e, sobretudo, que não se investigue quem tramou o PS com o caso «Casa Pia».

Cavaco tem muitos defeitos, detesto pensar que possa ser presidente da República, mas é um homem sério. Aí enganam-se os apaniguados e não me surpreenderei se ainda vier a saber quem autorizou as escutas aos mais altos dignitários do Estado, quem as solicitou e que razões invocaram o Ministério Público e o/s juiz/es.

Neste aspecto, confio em qualquer dos candidatos a PR (6) para obrigar ao esclarecimento do que parece ser uma conspiração contra o regime democrático. Isto se, antes, Jorge Sampaio não resolver o assunto.

Comentários

Cónego D. Frederico disse…
E.
Oxalá resolva e antes das eleições!
Bela foto!
Anónimo disse…
As pressões que recaem sobre Souto Moura, são, num regime democrático inaceitáveis. Penso que só os mais acólitos dos partidos pensam que todos os que viram o seu nome envolvido são a 100% inocentes. Muitos poderão não ter participado nas festas, mas dúvido que ignorassem a sua existência. Penso que existiam personalidades dos partidos no poder (PS e PSD) envolvidos, só isso justificaria o encobrir dos casos em que o embaixador Ritto se via envolvido em vários países. Continuo a pensar que a demissão de Santana foi mais devido ao envolvimento de pessoas no governo da altura no caso e nas investigações do que na má governação.
Se calhar, se Cavaco for eleito, a demissão de Souto Moura não sucederá, pq sendo um homem frio, que não deve lealdades a ninguém dentro do PSD e CDS, e para quem os meios justificam os fins (ele concordaria com todas as esctas e atropelos aos direitos cívicos) deixará as investigações seguirem o seu rumo, doa a quem doer.
Penso que Alegre tentará manter as investigações, mas tb a manutenção dos direitos cívicos. poderá substituir Souto Moura, mas tentará que as investigações sigam o seu curso.
Já Soares, ...

s.
«As pressões que recaem sobre Souto Moura, são, num regime democrático inaceitáveis. Penso que só os mais acólitos dos partidos pensam que todos os que viram o seu nome envolvido são a 100% inocentes».

RESPOSTA: Há quem tenha estado preso e não tenha sido acusado, posteriormente.
Já transitou em julgado a decisão.

Depois disto, é legítimo não responsabilizar por incúria, erro grosseiro ou má fé quem decapitou a Oposição?

P.S: Por lapso, tinha colocado uma foto de Cavaco que, depois, susbstituí por Souto Moura, foto cuja origem está assinalada.
Cónego D. Frederico... disse…
Ó Esperança,
Preferia a outra foto!!
Anónimo disse…
Numa República todos são princípes. Embora só se ligue a alguns (mais iguais que os outros).
Parece que quem escreveu no 24H foi o célebre krinken ? (o do CCruz). Que tem um passado que tresanda.
E parece que nenhumas escutas existiram. Só números da conta a q pertencia o telefone do Exº deputado. Era uma conta recheada (do estado). E se existissem escutas? Não valemos todos o mesmo?
Que se saiba o Exº deputado foi acusado. E não pronunciado. Não sem a presença de dúvidas (duplamente insanáveis, segundo se lia na fonte; não em alguns "jornais", que saltaram sobre os factos para os afectos).
Ansiosos estão todos os partidos por encontrar um Abafador-geral da coutada portuguesa. Isto de haver corrupção, desviados, perversos esclavagistas de miúdos, dá muito stress. E então se for entre os grandes líderes, é uma carga de trabalhos.
Quem pensava que os tiques do estado novo tinham passado é melhor rebobinar...
Anónimo das 11H48 PM:

Tanto quanto sei estão, entre outros, Mário Soares e Mota Amaral.

Concordo com algumas coisas que escreveu mas discordo em absoluto de um Estado sob escuta, de uma democracia vigiada, de políticos investigados e presos sem fortes indícios criminais.

Só a leviandade pode permitir acusações infundadas a quem tem poder e meios para se defender.

Não será uma forma de desacreditar um processo repugnante com demasiados implicados?

Mensagens populares deste blogue

Goldman Sachs, política e terrorismo financeiro

Miranda do Corvo, 11 de setembro

Maria Luís e a falta de vergonha desta direita