A extrema-direita, a Europa e a laicidade (2)

Por

Edite Estrela 

A emergência e consolidação dos partidos extremistas e anti-europeus é muito preocupante, caro Carlos.

Neste momento, a Frente Nacional (França) tem três eurodeputados. O Partido da Liberdade (Holanda) tem quatro. O Partido do Povo (Dinamarca) tem um. A Liga Norte (Itália) tem sete. O UKIP (Reino Unido) tem dez. O Vlaaks Belang (Bélgica) tem um. O Jobbik (Hungria) tem três. Os Verdadeiros Finlandeses têm um. O Partido Pirata (Suécia) tem dois. Ou seja, já há pelo menos 32 deputados extremistas no Parlamento Europeu e as previsões para as eleições de 2014 apontam para um reforço dos partidos já representados e a possibilidade de outros igualmente extremistas e eurocéticos poderem eleger representantes.

 Já há quem fale na possibilidade de se vir a constituir no PE um grupo do tipo Tea Party, que tem bloqueado o Congresso americano. Seria dramático. Espero que os partidos de esquerda saibam conquistar a confiança dos cidadãos e dar-lhes esperança e evitarem a catástrofe.

Ponte Europa: O perigo da extrema-direita merece que coloque aqui o comentário da euro-deputada Edite Estrela ao post do meu mural, no Faceboock . É revelador.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Nigéria – O Islão é pacífico…

Macron e a ‘primeira-dama': uma ‘majestática’ deriva …