Hospital Pediátrico de Coimbra

O que mais me dói é não ter sido surpresa o maior escândalo, depois do Centro Cultural de Belém, com a grande diferença de que o primeiro vai resistir ao tempo e o último não resistiu a um temporal.

Se os Tribunais funcionassem como deviam poupavam-se palpites sobre quem devia ser preso neste monumental atentado contra os interesses nacionais e a mais elementar ética da defesa dos interesses do Estado, isto é, do património nacional.

Não deixa de ser irónico que a melhor escola médica da especialidade, onde brilharam nomes como Carmona da Mota, Torrado da Silva, Nicolau da Fonseca e Luís de Lemos, com uma plêiade de seguidores, deixasse um edifício ultrapassado e sem relação com os fins, para acabar num palácio que se esboroou deixando a nu os crimes da construção.

Comentários

e-pá! disse…
O mais grave é ter a noção de que as mandingâncias 'construídas' à volta deste Hospital dariam para fazer um outro (sem as precoces deficiências que o actual já revela).
O que os portugueses têm de exigir - já! - é a suspensão imediata dos efeitos da acção arbitral que atribuiu ao consórcio construtor (Somague+Bascol) uma indemnização de 16,7 milhões de euros.
Ninguém atura ver 'nascer' uma espécie de BPN em cada esquina do País...
Agostinho disse…
Se fosse caso único.. seríamos todos ricos. Não tínhamos a troica à perna. E não tinha sido feito o pacto com o diabo que nos aniquila.
Aí por Coimbra há pelo menos 3 casos típicos da multiplicação da pilhagem do erário público: a famosa ponte europa, o HPC com esclerose e o metro reduzido a autocarros onde havia um comboio, velho e alquebrado, mas havia.
Por esse país fora há tanto caso, hospitais, pontes, estradas, escolas, pavilhões, parques industriais, "and so on" que seria impossível os tribunais "fazerem justiça".
O problema está no poder que se foi abastardando. Destruiram-se serviços e competências e construiu-se o tal monstro. Multiplicaram-se formalidades e vacuidades e serviços para inglês ver.
É este estado de alma que mora em grande parte da população e que dá lenha para a fogueira. Estão à espera de um incendiário?
Na mensagem anterior havia a preocupação de manter 230 deputados na AR, para garantia da representatividade...
Agostinho:

Subscrevo o seu comentário e, como residente em Coimbra, há mais de 40 anos, confirmo os 3 crimes que refere.

Mensagens populares deste blogue

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Nigéria – O Islão é pacífico…

Macron e a ‘primeira-dama': uma ‘majestática’ deriva …