Fidel e a face oculta do obscuro Juan Reinaldo Sánchez

Um ex-guarda-costas de Fidel Castro escreveu um livro no exílio dourado de Miami, onde tem os dois filhos. Depois de 17 anos como segurança de Fidel, a acreditar nele, é a Zita Seabra cubana.

Quem, como eu, nunca defendeu um regime de partido único, mas reconhece a Cuba os notáveis sucessos na saúde e educação, rejubilou com a vitória sobre o antigo ditador e dono do bordel, Fulgêncio Batista, e hoje se limita a condenar o desumano boicote ao país, distingue um biógrafo de um mercenário, um cidadão honrado de um trânsfuga oportunista e a informação da propaganda.

Defendo, como sempre defendi, a democracia política, pelo que não posso ser suspeito de adepto de Fidel, por mais que me maravilhem as vitórias sobre a mortalidade infantil e o analfabetismo, por muito que me espante o triunfo da música, da dança, das artes, do desporto e da medicina, em Cuba. Admiro, de facto, o povo cubano.

Pergunto-me para que quer Fidel as várias casas que o avençado biógrafo lhe atribui, em Cuba, e para que precisará de uma fortuna no estrangeiro quem viveu sempre no seu país e nunca pensou abandoná-lo para gozar a riqueza que alegadamente acumulou em parte incerta.

O aparecimento do panfleto*, com o glorioso nome de «livro», traduzido em português, não revela a face oculta de Fidel mas os interesses obscuros de quem procura prejudicar o PCP nas próximas eleições, preferindo um expediente baixo ao confronto ideológico e a propaganda soez ao debate de ideias.

A central de intoxicação autóctone, da pior direita em regime democrático, não deixa de exibir o gozo reacionário de uma encomenda dos exilados de Miami com a assinatura de um de muitos conspiradores que aí se fixaram. Miami não é uma escola democrática, é um antro de ressentimento e de conspiração, espécie de Rua de S. Caetano e de Largo do Caldas, coligados no exílio americano.

O oportunismo, à força de repetido, perde eficácia. A alegria com que ora atacam os que se situam à esquerda do PSD, talvez se transforme em azia depois das próximas eleições legislativas.

*A Face Oculta de Fidel Castro, Ed. Planeta, 17,76 €

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Nigéria – O Islão é pacífico…

A desmemória e a dissimulação

Miranda do Corvo, 11 de setembro