Jangada de Pedro salva Crato do naufrágio

Rui Pinto Monteiro é um professor de 36 anos que leciona em Biscoitos, Ilha Terceira, nos Açores. A sua colocação em 95 escolas do Continente transformou um professor do ensino básico em recordista.

As solicitações numerosas têm sido motivo de gozo para com o ministro da Educação e Ciência, um ministro que se esforça por ser o pior num Governo onde tem de enfrentar a concorrência feroz de muitos dos seus colegas.

O referido professor precisa de desistir de tão insólito assédio cada vez que uma escola o convoca para preencher a vaga e, só depois, o sistema informático notifica outro para a função.

Por cada vaga que lhe foi destinada há, pelo menos, 21 crianças que continuaram sem aulas e um professor que ficou a aguardar colocação. O facto de precisar de recusar cada oferta de lugar, para que o mesmo possa ser preenchido por outro professor, complica-se pelo facto de ter desistido do concurso do Continente e, assim, ter perdido condições legais para renunciar.

Na página onde os professores podem desistir, com um simples «clic», não consta o seu nome e o computador não comunica a sua desistência do concurso às escolas.

O desespero do ministro, após sobejas provas de inaptidão, levou-o a transferir para as escolas os problemas que criou e acabou por juntar à inépcia este naco de humor negro onde a vida de professores e alunos se complica.

Não é por acaso que Passos Coelho diz que acertou na escolha de ministro da Educação e Ciência. Não destoa nem lhe faz sombra.

Comentários

e-pá! disse…
Eis mais uma razão para a antecipação das legislativas.
Os professores e os alunos merecem um início de ano escolar sem as convulsões do presente...

Mensagens populares deste blogue

Nigéria – O Islão é pacífico…

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Macron e a ‘primeira-dama': uma ‘majestática’ deriva …