O DÉFICE

"Vítor Constâncio: agravamento do défice provocado por gastos excessivos do Estado 23.05.2005 - 17h15 PUBLICO.PT

O governador do Banco de Portugal, Vítor Constâncio, disse hoje, em conferência de imprensa, que a derrapagem orçamental de 6,83 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) ficou a dever-se à desorçamentação na saúde, salários dos funcionários públicos, Instituto de Estradas de Portugal, segurança social e Caixa Geral de Aposentações.
O Serviço Nacional de Saúde apresenta um défice previsível de mais 1512 milhões de euros, "que não estavam orçamentados", referiu Vítor Constâncio.Os fundos para os serviços dos funcionários públicos, relativos aos salários e às progressões automáticas das carreiras, indicam uma insuficiência de 360 milhões de euros que terão de ser repostos pelo actual Governo. Mais 458 milhões de euros dizem respeito ao buraco do Instituto de Estradas de Portugal; 599 milhões de euros são atribuídos à segurança social; e 228,3 milhões representam fundos da Caixa Geral de Aposentações, que não estavam inscritos no Orçamento de Estado, aprovado pelo anterior Executivo PSD/CDS-PP.

Todas estas situações, associadas à desorçamentação, deve merecer especial atenção dos governantes, sublinhou Vítor Constâncio.O governador relembrou que vem alertando há vários anos para o combate ao défice público e à necessidade de serem adoptadas medidas de consolidação das contas públicas, lamentando que estas medidas não tenham sido tomadas em períodos de crescimento robusto.As medidas localizadas e sem efeitos perenes trouxeram mais despesas ao Estado, disse o economista. Nos últimos anos recorreram-se a receitas extraordinárias pelos vários governos, que "apenas atrasaram a aplicação de medidas efectivas de corte das despesas públicas", disse o antigo ministro das Finanças. Vítor Constâncio admitiu que este valor apurado pela comissão é superior às estimativas da instituição central conhecidas no final do ano passado. O governador disse que foram identificados, por esta comissão, outros elementos de despesa que foram integrados nesta nova avaliação, o que fez subir o défice público ao valor hoje anunciado".

Espero que o PS tenha a coragem de dar início a uma reforma da Administração Pública da gestão dos “dinheiros” públicos, sem complexos o estado tem que ser necessariamente diminuído, a base legal tem que ser agilizada, os recursos humanos tem que ser readaptados e “deslocalizados” para onde são mais precisos , o despesismo inútil tem que acabar.

É preciso ter a coragem de agir, mas sem fazer do défice o objectivo final, sem obsessões, o controlo do défice mais não é que um caminho para o desenvolvimento.

Não nos desiludas PS.

Comentários

Anónimo disse…
A Manuela Ferreira Leite devia ter vergonha na cara e devia ir para as ilhas virgens nos próximos anos.
Marques Mendes não pode actuar como se não tivesse feito parte do Governo catastrófico da coligação PSD-CDS-PP. Fez parte dele 3 anos.
Anónimo disse…
Défites à parte os comunistas continuam a sua cruzada pelo controle do aparelho de estado.
Pedro Pita novo delegado da cultura.
Anónimo disse…
O caminho é esse, espero que o PS tenha coragem para o fazer!

Muito bem Nuno Moita!
Um politico tem que ter coragem.
Anónimo disse…
Aqueles que puseram o País neste estado, são os mesmos que aparecem agora como salvadores: ex-ministros, economistas e empresários. O que fizeram a tantos fundos comunitários e outros apoios?
Anónimo disse…
o regabofe continua.
vãocortar em quem nos mesmo.....
mas o pessoal do "tacho"tá sempre bem,ora no governo ora nas empresas.
Com aqueles vencimentos tambem eu dava palpites sobre o deficit, é velos falar de barriga cheia....
"que estranho País este" mas para "eles" nunca há cortes...isto é o pais do faz de conta meus.
Anónimo disse…
o regabofe continua.
vãocortar em quem nos mesmo.....
mas o pessoal do "tacho"tá sempre bem,ora no governo ora nas empresas.
Com aqueles vencimentos tambem eu dava palpites sobre o deficit, é velos falar de barriga cheia....
"que estranho País este" mas para "eles" nunca há cortes...isto é o pais do faz de conta meus.
Anónimo disse…
O grande problema da Administração Pública, é o excesso de funcionários que entraram nos últimos 15 anos. Estamos todos de acordo. Ok. Despeçam-nos.
Anónimo disse…
Acho fantastico que alguns socialistas andem na sombra a patrocinar nomes para cargos publicos e alguns deles ligados ao PC e BE, e de coimbra, quando estes nunca fizeram nada pelo partido de quem dependerão se forem nomeados. Tenho Pita disto...
Anónimo disse…
Vargues llosa? Cultura? Canotilho dixit
Anónimo disse…
Pedro Pita é socialista. Secção da Educação da ala de Rui Namorado. É verdade que é um socialista mesmo de esquerda mas é socialista
Anónimo disse…
Em que secção é que o Pita está inscrito?
Anónimo disse…
Não sei se está inscrito mas sei que toma posse segunda-feira.
Anónimo disse…
Vai ser uma festança se o Pita passar a perna ao Baptista.

Mensagens populares deste blogue

Os incêndios e a chantagem ao Governo

O último pio das aves que já não levantam voo