Parabéns, Tony Blair

Justamente penalizado pela infeliz cumplicidade na aventura iraquiana, Tony Blair continua a ser o político em que maior número de ingleses confia para primeiro-ministro.

A permanência à frente do próximo Governo de Sua Majestade Britânica (um anacronismo que ameaça manter-se por mais duas ou três gerações) é a garantia de que a Inglaterra continuará a contar com um líder experiente, imaginativo e determinado - o líder que melhor fez a síntese entre mercado e consciência social.

Por outro lado a Europa conta com um europeísta convicto, num país de euro-cépticos, que sabe a falta que a Inglaterra faz à Europa e que esta faz à Inglaterra. Vão longe os tempos em que os ingleses podiam afirmar: «hoje, a Europa esteve isolada por causa do nevoeiro no Canal da Mancha».

Na aldeia global, Londres, Paris e Berlim são o triângulo necessário para desenvolver e a aprofundar a importância da Europa no mundo. É tão importante como difícil a vitória do SIM ao referendo europeu.

Felicidades, Tony Blair.

Carlos Esperança

Comentários

Carlos Felício disse…
Em Portugal as eleições deveriam ser assim: rápidas e sem delongas.

É altura de alterar os prazos que vigoram no nosso regime democrático.

Talvez esteja neste pormenor a riqueza e o progresso das nações.
Raimundo Narciso disse…
Agradecia que pedissem ao Carlos Cidade para me enviar o seu email para raimundo.narciso@sapo.pt
Unknown disse…
Meu caro Carlos Esparança,

"Por outro lado a Europa conta com um europeísta convicto, num país de euro-cépticos, que sabe a falta que a Inglaterra faz à Europa e que esta faz à Inglaterra."
Esta frase mostra bem o desprezo que tens pela democracia. Concordas que o povo inglês é euroceptico mas apostas em que à sua frente está um hipócrata capaz de fazer tábua rasa do sentir do seu povo e, pior, congratlas-te com isso!
E, com coisas destas, como é que tens lata de te intitulares democrata?
Anónimo disse…
Caro Raio:
Eu identifico-me com os que têm valores semelhantes aos meus, mas não execro os adversários.
O facto de lutar por posições eventualmente minoritárias não fazem de mim um anti-democrata.Conformo-me com os resultados eleitorais

Já a negação do direito de lutar por posições que julgamos justas num ambiente hostil faz de quem nega esse direito um devoto de posições autoritárias.

A História ensina que as posições minoritárias de hoje podem ser maioritárias amanhã.

O despotismo iluminado e as vanguardas esclarecidas, por negarem o direito ao sufrágio universal e secreto, conduziram muitas vezes os povos para tragégias dramáticas.

Faz hoje 60 anos que a Alemanha acordou de um pesadelo que, no início, era um sonho partilhado pela maioria dos alemães.

Ninguém aprende nada com a História?
andrepereira disse…
Parabéns Tony Blair!
3 vitórias do Labour. 3 vezes Primeiro-Ministro. Muitos parabéns!
É verdade que a imprensa internacional tentou desvalorizar a vitória deste trabalhista, mas a História irá recordar esta semana como extraordinária no movimento social-democrata-trabalhista-socialista europeu.
Agora: bom trabalho e mais cautela com os amigos americanos...

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime