CPLP - O dinheiro, o petróleo e a decadência ética

A adesão da Guiné Equatorial à CPLP não é uma aberração, é uma indignidade. Não é a língua comum que nos une, é a igualdade ética de quem aceita tal companhia.

O ferrete da infâmia não cai sobre o povo que somos mas sobre os decisores que temos. Há neste gesto uma desonra tão grande, uma vergonha tamanha e uma tal indignidade, que nos faz temer que os responsáveis portugueses por este alargamento da comunidade são capazes de perfilhar os valores de quem admitem no seu seio.

É o primeiro passo de passos a caminho do canibalismo.

O Governo da Guiné Equatorial respeita os direitos humanos como o de Portugal a CRP.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

Efeméride – 30 de outubro de 1975