Quo vadis, Iraque?


Quem se preocupa com vítimas indefesas perante o fascismo islâmico de um anacrónico califado? Quem se recorda dos odiosos cruzados que levaram ao Iraque a destruição e o caos? Quem estende um ramo de oliveira a estes cristãos proscritos?

Aqui está um efeito colateral da conversa de Bush Jr. com Deus, da hipocrisia de Blair, da mitomania de Aznar, do Opus Dei, e do invertebrado mordomo que serviu cafés nos Açores.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Nigéria – O Islão é pacífico…

Macron e a ‘primeira-dama': uma ‘majestática’ deriva …