A ministra das Finanças e os pensionistas


Penso de Maria Luís o que Paulo Portas pensava quando se demitiu irrevogavelmente, talvez o único ponto de acordo com o vice-PM cuja sobrevivência o obriga a suportar as humilhações do PSD.

Este Governo, que prometera uma reforma administrativa e ludibriou a que a troika que ansiou nos impôs, limitando-se à cosmética nos nomes de freguesias, manteve os órgãos políticos faraónicos da administração central, autonómica e autárquica e acrescentou as prebendas dessa extensa rede de caciques que vive dos partidos e os alimenta.

Não surpreende que, com a terceira dívida pública mais elevada da U. E., e que não para de crescer, a sanha, no estertor do pior Governo, da pior maioria e do pior PR, se vire contra os pensionistas.

Aos novos desejam a emigração, aos velhos a defunção.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Nigéria – O Islão é pacífico…

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Macron e a ‘primeira-dama': uma ‘majestática’ deriva …