A República e o 5 de Outubro_2015

Em 5 de Outubro de 1910 – faz hoje 105 anos – terminou o poder vitalício e hereditário. Há 105 anos, ao meio-dia, na Câmara Municipal de Lisboa, foi proclamada e aclamada a República, perante o júbilo de milhares de cidadãos.

A República aboliu os privilégios e títulos da nobreza e o poderio da Igreja católica. À hereditariedade sucedeu o escrutínio do voto; aos registos paroquiais, o Registo Civil obrigatório; ao direito divino, a vontade popular; à indissolubilidade do matrimónio, o direito ao divórcio; à conivência entre o trono e o altar, a separação da Igreja e do Estado. E os súbditos passaram a cidadãos.

Celebra-a hoje quem exige ser cidadão e recusa ser vassalo. Merecem-no os seus heróis:

Cândido dos Reis, Machado dos Santos, Magalhães Lima, António José de Almeida, Teófilo Braga, Basílio Teles, Eusébio Leão, Cupertino Ribeiro, José Relvas, Afonso Costa, João Chagas e Miguel Bombarda, foram os mais destacados desses heróis que prepararam e fizeram a Revolução.

Afonso Costa, uma figura maior da nossa história, honrado e ilustríssimo republicano, mereceu o ódio de estimação dos reacionárias e o vilipêndio da ditadura. Para ele vai a homenagem de quem ama e preza os que serviram honradamente a República.

O atual governo rasgou do calendário a comemoração da data que mudou Portugal, uma pedra basilar da democracia; ofendeu a cidadania, ultrajou os heróis da Rotunda e traiu a história, vilania que nem a ditadura ousou.

O indivíduo que sucedeu a Jorge Sampaio, o último PR, virou costas à República que lhe permitiu o poder, desprezou os heróis a quem deve as honrarias e esqueceu a dívida. Na abolição do feriado foi cúmplice, no dia de hoje remeteu-se ao silêncio para calar o viva à República e esconder, sem vergonha, a ingratidão.

A República não é património de um só partido, pertence a todos os que não exoneram o cravo da lapela e a servem sem dela se servirem.

Ontem mais de 60% dos portugueses desprezaram e humilharam quem aboliu o feriado.

Esperamo-lo de volta.

Viva a República!

Viva Portugal!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Nigéria – O Islão é pacífico…

A desmemória e a dissimulação

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido