PSD

Ontem foi um dia politicamente surrealista. A Comissão Política Nacional do PSD decidiu nomear o seu vice-presidente Marco António Costa coordenador e porta-voz do PSD, substituindo, nas funções de coordenador,  Jorge Moreira da Silva e nomeando-o também porta-voz do partido.

Não foi certamente uma forma de pressão sobre a Justiça para impedir a investigação do DIAP do Porto sobre o eventual enriquecimento ilícito do poderoso dirigente partidário.

No mesmo dia Cavaco Silva substituiu-o numa insólita comunicação ao País sem ouvir os partidos com assento parlamentar e sem esperar pelos votos da emigração para saber qual o partido mais votado, a menos que se conheçam os resultados antes da contagem.

Pode a máquina de ruído partidário enaltecer o monólogo debitado sem cumprimentar  quem teve a paciência de o escutar. Foi bizarra a comunicação encomendada a quem assistia dever de isenção.

Ámen.

Comentários

Manuel Galvão disse…
Coelho reuniu com Cavaco a pedido do primeiro. Cavaco não indigitou coisíssima nenhuma Coelho para 1º ministro.Deu-lhe conselhos, somente.

Embora nem toda a verdade seja revolucionária,só a verdade é revolucionária (por paradoxal que pareça).
e-pá! disse…
Foi proferida ontem uma frase que traduz a barafunda do day after neste intranquilo País:
Cavaco (antes de falar ao País) apressou-se a ouvir o presidente do seu partido .

O resto é aquela fantasiosa imagem do presidente de 'todos os portugueses', blá-blá, blá-blá ...
Manuel Galvão e e-pa:

Tenho uma ideia diferente. O PSD convocou o PR para chamar Passos Coelho antes de ouvir os partidos.

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

Efeméride – 30 de outubro de 1975