Há 79 anos


O Campo de Concentração do Tarrafal começou a funcionar em 29 de Outubro de 1936 com a chegada dos primeiros prisioneiros.

Recordar esta data de ignomínia é execrar o facínora que o quis, o regime que o instituiu e os cúmplices que apoiaram.

Tenho o privilégio de ser amigo de Edmundo Pedro, o heroico sobrevivente do antro de terror onde a face mais sinistra de Salazar se espelhou. Vai para ele, para a sua coragem e determinação, o abraço fraterno de quem não esquece a violência do regime e as suas vítimas, lembrando todos os que foram torturados ou mortos a mando do sádico ditador.


Quando os salazaristas de ontem querem ser os detentores do poder, hoje, não podemos esquecê-los ou perdoá-los.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Nigéria – O Islão é pacífico…

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Macron e a ‘primeira-dama': uma ‘majestática’ deriva …