Reflexão

Não pode ser Cavaco Silva, no seu inferior juízo, a julgar os superiores interesses dos portugueses, o que apenas compete aos partidos que os representam na AR.

No velório de ontem sobressaiu o sorriso do oficiante quando o efémero secretário de Estado – filho de Jaime Gama – assinou a precária posse e o olhar com que perseguiu os glúteos de uma desconhecida secretária de Estado provisória.

A câmara atenta revelou mais do que as palavras da reedição mitigada do ressentimento que o devora.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Nigéria – O Islão é pacífico…

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Macron e a ‘primeira-dama': uma ‘majestática’ deriva …