Eleições americanas II: uma outra leitura (ainda) extemporânea…

É significativo para a Europa que alguns dirigentes políticos estejam a falar de uma ‘nova era’.
Começando por Putin link, passando por Renzi link e acabando em Merkel, somos chegados à conclusão que está prestes a implodir o Quartel General em Abrantes (onde ‘nada de novo’ pontificava).
 
Existem situações decorrentes da eleição de Donald Trump que colocam, no imediato, problemas à Europa. Ou seja: o reforço da onda populista e extremista (de Direita) agarrada com as 2 mãos por Marine Le Pen link, um eventual fortalecimento da posição britânica (no que diz respeito ao Brexit), o recuo nos tratados de comércio transatlânticos (como o TIPP) – há males que vêm por bem -  num quadro económico visivelmente ‘protecionista’ e quanto à NATO onde as condições do presidente eleito passa por leoninas contribuições dos membros ‘atlantistas’ que não deixarão de levantar a velha questão de pensar num sistema de segurança e defesa europeia próprio.
 
Finalmente, quanto à Europa de Leste, mais concretamente em relação à Rússia, tanto a questão ucraniana, como os consequentes reflexos na política energética (europeia e global) terão de ser reequacionados.
 
Mesmo em tempo de incertezas e de confusão seria bom deixar de lado as pequenas picardias da campanha e começar a entender e a desenhar o que poderá vir de novo.
Na realidade, como já se passou na Europa (Itália), com Berlusconi, os ('patrões' dos) grandes grupos financeiros e económicos começam a dispensar os políticos – que têm sido intermediários – e avançam frontalmente para a captura directa das rédeas do poder...
Foi, também, isto que, ontem, 'aconteceu' na América.

Comentários

mensagensnanett disse…
TRUMP - uma vitória da liberdade de expressão contra aqueles que já se consideram os Donos Disto Tudo (DDT's) - a alta finança (capital global).
.
O homem foi tratado pior que um criminoso: por todo o lado choveram comentadores políticos acusadores (marionetas ao serviço da alta finança - capital global)... e o homem não teve direito a um comentador de defesa!
.
Um case-study para a história: a forma como as marionetas da alta finança (capital global) fizeram a campanha anti-Trump.
.
NOTA A NÃO ESQUECER: aqueles que já se consideram os Donos Disto Tudo (DDT's) - a alta finança (capital global) -... estão apostados em dividir/dissolver as Nações... terraplanar as Identidades... para assim melhor estabelecerem a Nova Ordem Mundial: uma nova ordem a seguir ao caos – uma ordem mercenária (um Neofeudalismo).
.
.
A construção de 'pontes' dos Hilários Clinton: NEGAR O DIREITO DE PROSPERAR AO SEU RITMO!
Para os Hilários Clinton a sobrevivência de Identidades Autóctones é uma coisa que prejudica os mercados... mais, para os Hilários Clinton, quando um povo nativo economicamente pouco rentável é teimoso (isto é, ambiciona prosperar ao seu ritmo, isto é, ambiciona ter o SEU espaço no planeta)... deve levar com um Holocausto Massivo em cima!
[nota: existem muitos Hilários Clinton a viver em territórios de povos nativos que foram alvo de um Holocausto Massivo]
.
.
.
Todos diferentes, todos iguais... isto é: todas as Identidades Autóctones devem possuir o Direito de ter o SEU espaço no planeta (nota: inclusive as de pouco rendimento demográfico'... inclusive as economicamente pouco rentáveis).
Os 'globalization-lovers', UE-lovers e afins... que fiquem na sua... desde que respeitem os Direitos dos outros... e vice-versa.
Pelo legítimo Direito à Sobrevivência das Identidades Autóctones:
-» http://separatismo--50--50.blogspot.com/
{O primeiro passo será/é ir divulgando a ideia de SEPARATISMO-50 nos países aonde a população nativa está sendo submergida pelo crescimento demográfico imparável dos não-nativos naturalizados}


Mensagens populares deste blogue

Nigéria – O Islão é pacífico…

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Macron e a ‘primeira-dama': uma ‘majestática’ deriva …