5 em 1! Um dia de Glória para os Democratas!

O povo americano acordou! Levantou-se e foi depositar ordeiramente o voto da mudança!
Renasce a alegria e a esperança no mundo!
Um dia de muitas vitórias para os Democratas:
1 – Ganharam a Casa dos Representantes com uma maioria esmagadora;
2 – Conseguiram o que parecia impossível: conquistar o Senado (estou seguro que a recontagem não alterará o resultado final: a diferença entre os candidatos é muito grande (cerca de 7.000 votos);
3 – Mais 6 Estados escolheram um Governador Democrata!
4 – Donald Rumsfeld foi corrido sem brilho nem glória!
e, last but not least….,
5 – Com a perda do Senado, Bush não pode controlar a seu bel-prazer o futuro do Supremo Tribunal Americano.
E esta é a vitória mais importante para as próximas décadas!

Comentários

Manel disse…
Mas não está nada fácil receber tal herança, tal como os Democratas a irão herdar!
Complicado, muito complicado: Iraque, Irão, Corea, Médio Oriente, ...... uma chatissice!
e-pá! disse…
A queda de Rumsfeld - quando há dias Bush afirmou que este ficaria até ao final do seu mandato - só pode significar 2 coisas:
1- ou o final do mandato está para ser antecipado;
2- ou, o presidente tornou-se um aldrabão político coercivo.

Obs: Estas duas "circunstâncias" podem ser cumulativas.

Como remate final não resisto a transcrever uma das afirmações de hoje, proferidas por Bush, a propósito da demissão de Rumsfeld.
"Em 2003, sob minhas ordens, liderou o planejamento e a execução de outra histórica campanha militar, a operação 'Liberdade para o Iraque', que derrubou Saddam Hussein e ajudou o povo iraquiano a estabelecer uma democracia constitucional no coração do Oriente Médio".
Foi isso mesmo que se passou e, no momento, está a passar. caíu-lhe o céu em cima!
Os americanos tiveram oportunidade de responder, nas urnas, a estas alienantes conjecturas e julgar estas deturpações históricas.

Mesmo que a situação no Médio Oriente fosse outra, mesmo que o Mundo estivesse mais seguro, mais tranquilo, mesmo que a "luta contra o terrorismo" tivesse sido eficaz, mesmo que não tivesse havido tantas atrocidades e tantos atropelos aos Direitos Humanos, como seria possível "aguentar" tanta falta de idoneidade política, tanta incapacidade de avaliar situações político-militares, tanta pobreza estratégica.

Rumsfeld não deve ir para casa gozar uma tranquila reforma. Não merece. Deve - agora que perdeu a imunidade - ser responsabilizado (co-responsabilizado) e inquirido sobre as práticas torcionárias em Guantámano, sobre os vergonhosos crimes praticados em Abu Ghraib, sobre os negócios da Haliburton, etc.
O Mundo ficaria mais tranquilo se "isso" acontecesse.
E mais justo.
Anónimo disse…
Até parece que os democratas não fazem parte da moeda...
Que esquisito,nos EUA só existem 2 partidos com a possibilidade de estarem no poder.São sempre os mesmos e,com 'receitas' semelhantes.Para não falarmos na opulência financeira dos seus 'militantes' e das jogadas sujas que vamos sabendo...Será democracia em que o grande capital manda nos governos?Esperanças pífias
Anónimo disse…
Não terá sido Vital Moreira com um pseudónimo a escrever isto?Parece a cantilena dos amanhãs que cantam na versão neoliberal.Com que então um milestone para as próximas décadas.Na américa só existe os republicanos e os democratas,qual lógica binária mal amanhada,pq para o serem teriam que ser mutuamente excludentes.O sr. vassalo, ao tilintar do vil metal,fica com os olhinhos reluzentes e,daí,o estender o tapete vermelho (ou será,encarnado?)ao terrorismo social que essa trupe ignóbil encarna.Mais miséria,retrocesso social em toda a linha,guerras de saque,apoio aos cleptocratas de todo o mundo.Os EUA são apenas exemplo para a pior mafia do Universo-não são os ideais para a democracia!Desde quando é que uma empresa é uma instituição democrática?Logo,a democracia não se pode ,como está mais que visto,orientar pelo sistema do capital...Ufa!
Álvaro Lança disse…
É um grande motivo de satisfação, mas não ainda para deitar foguetes.
Afinal George Bush ainda é o Presidente dos EUA e receio bem que os eleitores americanos hajam votado a pensar mais nos seus quase três mil militares mortos no Iraque do que nos mais de meio milhão de iraquianos vítimas inocentes de uma guerra ilegítima.
Afinal, ainda não foi há dois anos que o mesmo eleitorado sufragou a política criminosa de George Bush!
E não esqueçamos a política de Bill Clinton para a Bósnia, apesar de ser Democrata.
Carlos Esperança disse…
«Os democratas norte-americanos conquistaram a maioria no Senado nas eleições Intercalares dos EUA, depois de ontem terem arrebatado a Câmara dos Representantes aos republicanos. Depois de 12 anos sem maiorias nestas duas câmaras, os democratas obrigam assim o presidente George W. Bush a uma coabitação difícil nos dois últimos anos do seu mandato».
in Correio da Manhã

Mensagens populares deste blogue

Vasco Graça Moura

Notas sobre a crise venezuelana…