Cidadania


Habituamo-nos de tal modo a olhar os outros de frente que, por vezes, esquecemos o veneno que a cauda encerra.

Comentários

Jaime Santos disse…
O que é mais terrível é a mesquinhez de quem vem achincalhar quem já está em baixo. Cavaco acreditou em Oliveira e Costa, Duarte Lima e Dias Loureiro, mas nunca acreditou em Sócrates. Se o ex-PM não lhe merecia a confiança, por que não dissolveu AR quando considerou que Sócrates tinha passado das marcas? Sampaio fê-lo por bastante menos (e a meu ver bem). Por que razão deixou ao invés que se conspirasse à sua sombra para destruir o governo do PS em 2009? Trata-se de um vil ajuste de contas que mostra o que já sabíamos, falta ao ex-PM e ex-PR qualquer espécie de grandeza... Suspeito que a História não será nada meiga na sua apreciação dele, mas isso só o tempo o dirá... E, seja como for, Cavaco está de tal modo consumido pelo despeito, que julgo que nem sequer se importa com isso...

Mensagens populares deste blogue

Goldman Sachs, política e terrorismo financeiro

Miranda do Corvo, 11 de setembro

Maria Luís e a falta de vergonha desta direita