G-8 / G-20 ou encontros bilaterais ?

As cimeiras G-8 e G-20, convocadas simultaneamente para Toronto, trouxeram algumas novidades mas, fundamentalmente, reforçaram as dúvidas que se vão levantando - em todo o Mundo - sobre a situação política, económica e financeira internacional e os esforços que estão a ser desenvolvidos para a combater.

Em primeiro lugar, as duas cimeiras em simultâneo significam que o G-8 está prestes a diluir-se no G-20, de acordo com as novas opções estratégicas de Washington;

Depois, a concepção que - nestes tempos de crise - o G-20 tem uma melhor capacidade para enfrentar os novos desafios globais é o toque a finados para o G-8 e atinge profundamente a capacidade de liderança europeia no [velho] contexto dos países mais ricos [8];

Os países emergentes que integram o G-20 estão interessados numa efectiva concertação entre os controlos orçamentais [divida externa incluída] e um crescimento sustentado, vital para o seu desenvolvimento;

Esta alteração de formato vem dificultar - ainda mais - a relações entre as diferentes potencias mundiais potenciando os contactos bilaterais - à margem de todos os G's - como são os casos das cimeiras [periódicas] entre os EUA e a China e/ou a Rússia;

O comunicado final da reunião dos G-8 mostra à saciedade profundas discrepâncias sobre as medidas necessárias [indispensáveis] para o debelar da crise, i. e., as taxas sobre os mercados financeiros [sector bancário], onde ficou decidido que cada País fará o que quiser;

De facto, o que o comunicado final evidencia é [também] uma grave crise na liderança internacional que se expande para além da UE [onde tem sido evidente e notória] e, para além disso, já atinge a popularidade e o carisma de Obama, cada vez mais enredado e manietado nas teias da política internacional;

O comunicado final da cimeira ignora, olimpicamente, a crise social subsidiária da crise económica e financeira, deixando em suspenso o drama do desemprego galopante que atinge a maioria dos Países desenvolvidos;

Finalmente, a cimeira trouxe uma romântica novidade. A nova companheira de Berlusconi que, airosamente desceu do Airbus do dirigente italiano, jovem, vestida de branco, ruiva, vaporosa, uma suposta “Barbie”. Um êxito para o septuagenário Il Cavaliere. Nada de importante ou de transcendente para o Mundo... suspenso da G-8 ! .

Post it: A "não convergência" da cimeira não impressiona, nem será relevante. O actual G-8 [anteriormente G-6 e G-7] com 35 anos de existência já aprovou mais de 3.000 acordos. Sem qualquer efeito prático. Portanto, é [foi?] um caminho percorrido, sem honra nem glória...

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime