Deambulações do custe o que custar…


 Os resultados da execução orçamental de 2013 levantam muitas questões mas 3 delas pertinentes:

- O OE-2014 não foi ‘construído’ a partir de uma base errada (i.e. para chegar aos 4% de défice em 2014 o Governo não partiu de um défice de 5,5% em 2013)?

- Não terá este Governo um ‘comportamento desviante’ (nunca acertando no défice ora por defeito, ora por excesso, mas errando sempre)?


- Será necessário alguma outra prova além do défice obtido em 2013 para demonstrar que o Governo está apostado em ‘ir para além do troika’?

Comentários

Agostinho disse…
Com tática de guerrilha enganam os incautos.

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

Efeméride – 30 de outubro de 1975