Momento zen de quarta_04_11_2015

João César das Neves (JCN), aperreado com as dores do cilício e as dores ainda maiores do papa que lhe coube andou arredado da exegese pia.

Voltou hoje às homilias no DN, com o sermão «Dar vista aos cegos», uma contribuição modesta para o pensamento mas suculenta para alma, a dar resposta à interrogação que  o dilacera: «O que ninguém pergunta é se está melhor aquele mundo que abandonou o ensino da Igreja». Segundo JCN «o Ocidente é a única zona do globo que, tendo vivido séculos segundo a doutrina cristã, (…)  enveredou por um caminho de promiscuidade, divórcio e aborto. É também a única sociedade da história que sofre (…) profusão de casais desfeitos, depressão psicológica, crianças descartadas antes de nascer, velhos abandonados antes de morrer e corrupção avançada do tecido social».

JCN afirma que o mundo atual «esqueceu o essencial da doutrina cristã. Aquela parte que ainda conhece vagamente é abstinência sexual extraconjugal, indissolubilidade do matrimónio e proibição estrita do aborto e eutanásia» mas «o centro da visão cristã é ser pobre de espírito, aflito, manso, faminto de justiça, misericordioso, puro de coração, pacífico e perseguido por causa da justiça».

Bem-aventurado JCN, pobre de espírito, aflito, manso, etc.

Comentários

Jaime Santos disse…
A Europa já viu melhores dias, mas o seu Estado Social ainda é invejável, e ao menos os Europeus não se andam a matar uns aos outros por motivos religiosos (a guerra na Síria, Iraque, etc, é essencialmente um conflito entre xiitas e sunitas). Quanto à mansidão de CN, presume-se que ele deseja voltar a pôr mulheres no banco dos réus pelo crime de aborto. A esse respeito estamos conversados...

Mensagens populares deste blogue

Nigéria – O Islão é pacífico…

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Macron e a ‘primeira-dama': uma ‘majestática’ deriva …