A gaffe de Manuela Ferreira Leite

A gaffe de Manuela Ferreira Leite, ao mencionar, em tom irónico, os eventuais méritos reformadores de uma suspensão temporária da democracia é muito grave.

Obviamente que não me parece que Manuela Ferreira Leite entenda implantar a ditadura em Portugal, pretenda dar um golpe de Estado, ou que simpatize com a ideia de uma ditadura ao estilo romano.

No entanto, a líder de um dos principais partidos políticos, que aspira ao papel de Primeira-Ministra, não se pode dar ao luxo de fazer chalaças de forma tão leviana com uma coisa tão séria como é a democracia. A democracia é uma coisa demasiado séria, e a última experiência de ditadura saneadora saldou-se em 48 anos de ditadura fascista. A gaffe é também um tiro no pé: muitas pessoas ficarão sempre na dúvida se a senhora não terá mesmo uma costela autoritária e se não simpatizará mesmo com a ideia...

Comentários

jrd disse…
Vou mais para a hipótese de esclerose militante.
ahp disse…
Eu pertenço ao número das pessoas mencionadas no último período do post. Acho que foi uma gaffe freudiana: ela pensa mesmo assim. Fugiu-lhe o pé para a chinela ditatorial. Não disse ela também que não podia ser a comunicação social a seleccionar as notícias que dá?

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

Efeméride – 30 de outubro de 1975