Um caso de polícia

Nota: Não é tanto o facto de uma freira se poder comportar como alguns banqueiros que é preocupante. São apenas casos de polícia. O que devia preocupar-nos é o destino das heranças que revertem para instituições em que as pessoas passam os últimos dias e onde, fragilizadas, são compelidas a legar os bens.

Comentários

e-pá! disse…
SÓ SE FOR "POLÍCIA DOS COSTUMES"...

São as piedosas doacções, deste tipo, que engrossam o património de muitas Misericórdias.

A Santa Casa da Misericórdia do Porto era, até há poucos anos, o maior proprietário de imobiliário e prédios rústicos (urbano e rural) do País.
Por esta razão, as eleições para a mesa desta Casa, eram tão disputadas...
É que depois estas doacções condicionadas ao uso para objectivos religiosos e filantrópicos, são depois alienadas por motivos fragéis, venais, precários, quando não, fúteis.

Vale de Azevedo encontra-se a monte (passe a força da expressão!) no Reino Unido por estas mesmas razões...

Entretanto, por cá, e com a benção da Igreja, os provedores destas Misericórdias tornam-se comendadores (...de qualquer ordem).

E a vida continua...

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido