Bodo aos pobres...

A situação política e social nos países de maioria muçulmana no Norte de África e no Médio Oriente, como temos vindo a observar, é explosiva.

As causas profundas desta crise são múltiplas e vão desde a corrupção, passando pelo despotismo até ao “código de vida islâmico” ...

Estas situações têm merecido a complacência – quando não o apoio público - do Ocidente em nome de equilíbrios políticos que têm como denominador comum a estabilidade. Muita dessa estabilidade tem um cheiro nauseabundo, uma consistência viscosa e cor castanho escuro, i. e., o petróleo…

Mas, tomemos como exemplos dois países em “convulsão”: O Bahrein e a Líbia.
Perante a “onda” de descontentamento popular, face aos “dias de raiva” que fizeram – para além da repressão - os vitalícios déspotas?

No Bahrein, o emir Hamad bin Issa al-Khalifa distribuiu 3000 US dólares por cada família para assinar o “10º. aniversário da Carta de Acção Nacional” e “como prova de apreço ao povo”… link

Na Líbia, Muammar al-Khadafi propôs a duplicação dos salários dos funcionários públicoslink

Chama-se a isto “atirar dinheiro” para cima dos problemas, tentando "afogá-los". Para povos “em fúria” não resulta. Primeiro, porque todos se interrogam “porquê só agora?”. Segundo, estes gestos são o implícito reconhecimento que antes algo lhe estava a ser subtraído, em nome de quê?.

Depois, estas “manobras” acabam por desencadear uma espiral de reivindicações:
- Porquê 3000 dólares e não 30 000?
- Porque duplicar ordenados e não triplicá-los?

Os protestos de rua não são uma quermesse onde se fazem peditórios, se rifam objectos e se distribuem benesses. São manifestações de profundo descontentamento que têm como objectivo derrubar regimes corruptos, ditatoriais e sanguinários.

Tentar enfrentar revoltas políticas e sociais como se fosse um festim – daqueles que propiciam aos magnânimos senhores encenar um bodo aos pobres – é perder a visão política, escarnecer da pobreza, dourar a indecência e mostrar a chantagem e/ou revelar o suborno. Isto é, em vez de sanar problemas, exacerba-os.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Nigéria – O Islão é pacífico…

A desmemória e a dissimulação