Política Externa da UE: a tibieza reina…

A UE, passada uma semana desde o início das manifestações no Egipto, tomou uma posição pública sobre este acontecimento político que, na actualidade, incendeia o Médio Oriente.

A declaração conjunta [de ontem] produzida pelos 27 países europeus mostra um profundo alheamento dos graves problemas que ocorrem no norte de África e Médio Oriente. Contenta-se com o morno debitar de alguns chavões que, na essência, não passam de lugares comuns. Apelam por "reformas democráticas substanciais" que desemboquem em eleições “livres e justas”… elmundo.es

Declarações de princípio que se aplicam ao Egipto e, reconheça-se, à generalidade dos Países do Mundo. A UE pouco mais adiantou.

A UE - sobre a pressão da França e Reino Unido - passou ao lado do verdadeiro problema egípcio: o regime de opressor de Hosni Mubarak. A tímida referência a eleições foi arrancada a ferros….
O reino da tibieza.

Comentários

Manolo Heredia disse…
estão é borrados de medo. é que o fogo pode alastrar... e a Turquia é aqui tão perto...
Tiago Pinto disse…
Precisamos de... mais Europa!
Uma Europa que tenha capacidade para fazer escolhas!
Por exemplo, que opte por deixar de fora países não democráticos. Como a Turquia.

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial