Associação Ateísta Portuguesa (AAP)


História breve de uma longa espera antes de entrar em direto na TV

Chamaram-me de urgência quando almoçava com uns amigos. O padre Borga estava atrasado e ia entrar eu, antes da hora prevista, para preencher a falta. Deus não dorme. Ele chegou primeiro e teve todo o tempo que os tementes merecem. Cruzei-me com ele quando ia entrar na maquilhagem. Antecipou-se e eu fiquei a ver desfilar os «colegas» do “Portugal no Coração”.

Enquanto aguardei os minutos destinados ao réprobo ainda passaram por mim a D. Lili Caneças, a Aura Miguel, certamente com calos nos joelhos, a Alexandra Solnado e a sua assessora privativa, enfim, muitos figurantes e figurões que conheciam os cantos à casa e logo desciam para o estúdio.

Mantive-me na sala que me destinaram, dentro de um fatinho completo, com gravata, a disfarçar o ar pelintra de quem é convidado por favor e pouco apreciado. Eis que chegou uma jovem escassamente vestida, a contrariar o pedido que a Irmã Lúcia fez a Marcelo Caetano para que proibisse a minissaia.

- Sou a Ruth Marlene e estas são as minhas meninas, este é o meu «brother», a acentuar  a vocação poliglota, e aquele é… confesso, não fixei o nome. Oscularam-me em fila, elas, e eles apertaram-me a mão. Abençoadas raparigas cujos corpos são um regalo para a vista e, quiçá, para o tato.

Naquele ar saturado de incenso, num espaço com odor a sacristia, brilharam os corpos de jovens desinibidas cujo pecado é bem mais sagrado do que o dos tartufos e beatos que vendem a fé a retalho e promovem a superstição por atacado.

A partir de hoje prefiro qualquer Ruth Marlene a todos os Borgas, Caneças e Auras que levam deus ao domicílio e a ignorância em ondas hertzianas aos confins de Portugal.

Ámen!

Comentários

Caro CE

Vi-o há pouco na TV. Como o programa era à tarde deixei a gravar. Isso teve a vantagem de poder "acelerar" até chegar a sua vez, assim me poupando ao santo sacrifício de ver os anteriores participantes.
Esteve muito bem. E teria certamente estado muito melhor se os apresentadores o tivessem deixado falar. Mas eles gostam mais de se ouvir a si próprios...
Caro Horta Pinto:

Quem perfilha ideias que contrariam os interesses dominantes só pode aspirar a aproveitar as raras oportunidades, mitigadas, de que dispõe.

Mensagens populares deste blogue

Associação Ateísta Portuguesa (AAP) - RTP-1