Câmara Municipal de Lisboa

Um grupo de súbditos do Sr. Duarte Pio substituiu a bandeira da Câmara de Lisboa por um trapo da família dita de Bragança.


Os anacrónicos defensores da monarquia aproveitaram a calada da noite para a bizarria e a cumplicidade de um canal de televisão para a vozearia.


É a silly season.

Comentários

ana disse…
Mas que cambada...E não são nada modestos, os piquenos, acham-se os legítimos representantes da vontade da maioria ainda que a maioria, nas urnas, os mande dar uma grande volta.
Mano 69 disse…
Caro CE

Não seja anacrónico (com a devida vénia) nas suas ideias, nem toda a gente pode ser ateu, republicano e social-democrata.
Isso de ser o falcão do ideário republicano dever ser cansativo. Você está tal e qual os escuteiros “sempre alerta!”.

O pior é que eles vivem e estão no meio de nós…
Mano 69 disse…
d. ana

A menina/senhora (riscar o que não interessar), continua muito azeda. E ainda por cima tenta fazer trocadilhos para ser engraçada o que não é, convenhamos, o seu forte…

(hoje não vou lavar o carro)
e-pá! disse…
CE:

Algures no Ceará (Brasil) esta rábula dos "Darth Vaders” do blog 31 da Armada acordou-me da minha latência de férias, para reflectir sobre uma nova questão (e, suspeito, que importante) no domínio da blogosfera.

Até que ponto e em que medida a Web passará do antro da discussão das ideias e ser usada para acções de agit-prop servindo de suporte electivo à sua divulgação?

Uma discussão inadiável que, em meu entender, deve passar ao lado do conteúdo deste arremedo sumariamente provocatório mas, registe-se, imaginativo.

A necessitar de uma discussão aberta, sem laivos ou propósitos censórios, indignações pueris, preconceitos iníquos. Uma abordagem que faça o escrutínio do alcance e dos possíveis enquadramentos, destes novos (?) métodos diversificados e combinados (comunicação + acção) que, sublinhe-se, poderão, a breve trecho, ser usuais no espaço mediático...
Penso, que estamos perante uma nova situação que deve merecer - para além do natural repúdio dos republicanos sobre a sua intencionalidade - um melhor estudo.
É-Pá:

Tambés estou fora da Pátria e trazia um novo post que vai ficcar.

Abraço.

Ponte Europa chama por E-pá e os outros colaboradores.
Mano 69 disse…
Aux armes citoyens!

CE toca a reunir no Mar Salgado!

A república precisa de todos os seus cidadãos para a defender, dado que os mais ilustres membros do berloque encontram-se de férias no estrangeiro.

Onde está o Sr. Pereira? E a d. ana? Etc., etc.
mt32766 disse…
Há muitos patetas que continuam a insistir no argumento da inutilidade das monarquias. Trata-se, amiúde, de gente que carrega a ignorância na mesma proporção do despeito, mobilizando em doses equilibradas lugares-comuns da petite histoire, da coscuvilhice pequeno-burguesa ou do deslumbramento jet set, aos quais se junta uma boa safra de mitos igualitários. Ora, se as monarquias fossem isso, não haveria quem tanto as detestasse ao ponto de as querer destruir. O mais puro republicanismo vive prenhe de regicídio e, quase sempre, foi ou é escola de tiranos endinheirados e camarilhas que encontram no Trono obstáculo derradeiro à consumação do domínio do Estado e da sociedade ; logo, aqueles que se julgam fadados para o exercício do mando. Se as monarquias fossem o que delas dizem os seus inimigos - os patetas e as camarilhas - não teriam o apoio e simpatia que gozam entre o povo chão.

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial