A Boa e a Má Moeda



A propósito de um inigualável trapalhão chamado Pedro Santana Lopes, o Presidente Cavaco Silva recorreu um dia à «Lei de Gresham» para afirmar que «a má moeda expulsa a boa moeda».
E se isso é verdade, não é menos verdade que as «más moedas» também se atraem e se juntam umas às outras, numa associação miserável que tudo corrói à sua volta.

Será talvez por isso que à volta de Cavaco Silva se juntam pessoas e casos que mancham a Presidência da República de uma indignidade que não deixará de marcar indelevelmente a sua presidência.

Não é aceitável que Cavaco Silva tenha permitido que, de súbito, tenham começado a pairar à sua volta casos como o da inexplicável e estratosférica valorização das suas acções do BPN, que tenha tantos meses levado ao colo o Conselheiro de Estado Dias Loureiro, obviamente associado a esse súbito euromilhões presidencial, e que tenha mantido tão longo silêncio à volta de umas abstrusas escutas à Presidência da República que, se bem recordo, seriam a única explicação plausível para ter vindo a público essa notícia curiosíssima de que seriam os assessores da Presidência que estavam a elaborar o programa eleitoral do PSD.

Agora vem a lume que a Presidência da República organiza dossiers secretos sobre cidadãos e, como se não bastasse, a afirmação de um assessor que diz que está directamente autorizado pelo Presidente a tornar públicas as suas suspeitas sobre as tais misteriosas escutas e a criar à sua volta mais um caso de manifesto desgaste político-eleitoral para o Primeiro-ministro José Sócrates, obviamente em coordenação com as acusações de «asfixia democrática» de Manuela Ferreira Leite, ironicamente proferidas na Madeira.

E perante tudo isto, o que faz o Presidente da República?
Não só não nega nada disto, como não faz rigorosamente nada!

Estranhamente (ou talvez não), um complacente Cavaco Silva aparece a conviver pacificamente com todos estes casos e com a «má moeda» que prolifera tão pacífica e sadiamente à sua volta.

Mas o que é facto é que a Presidência de Cavaco Silva nunca mais será a mesma.
Cavaco Silva pode ainda vir dizer-nos qualquer coisa como «I’m not a crook».

Mas se um caso de escutas foi motivo mais do que suficiente para a demissão de Richard Nixon, se por muito menos Karl Rove e Damian McBride foram demitidos, então uma coisa é certa:
- Todos estes casos e mais esta espécie de «Watergate ao contrário» deixaram Cavaco Silva completamente despojado de ética política e democrática para continuar a exercer o cargo de Presidente da República.

Comentários

ana disse…
Está na altura de S.Exª pedir protecção ao condestável.Amor com amor se paga.
Anónimo disse…
E não referiu dois outros ministros de SExa ambos já a contas com justiça:

Oliveira e Costa e Arlindo qualquer coisa, não me lembro...

quase parece uma celula mafiosa, da camorra...

agora podia (a)juntar-se-lhe

Fernandes, Lima, Manuela Guedes e sei lá que quejandos mais...

abraço
Caros "Ponte Europa"...
Eu gostaria de deixar apenas umas perguntas, na linha de muitas que têm sido lançadas pelo PSD...
Depois de todas estes factos não desmentidos pelo Presidente da República, como poderemos perspectivar o retorno do Duo Dinâmico (embora já velhinho)? Será que MFL vai voltar a ser chefe de gabinete de Cavaco Silva? E qual o grau de alerta que esta possibilidade nos sugere? Vermelho, vermelho claro ou só LARANJA?

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime