Discurso do PR. Fernando Lima nunca existiu

O ressentimento de quem não esclareceu o essencial, atirou pedras e fugiu, e tornou a cooperação institucional impossível.

Falhou no tempo, na forma e na substância.

Comentários

Anónimo disse…
Cavacu é um ser inexistente...

provou a sua nulidade como fiel do normal funcionamento das instuições democraticas

e prepara-se para mais golpadas,

com este salto em frente

impeachmente já...
Zé António disse…
As candidaturas a presidente da republica só deveriam ser aceites depois de ter sido avaliada a sanidade mental do candidato.

Como é que se pode destituir a criatura?
Anónimo disse…
Razão tinha o "outro": "Cavaco é como um eucalipto, provoca aridez à sua volta"
Caiu sobre a seara uma calamidade, no sentido etimológico mais puro.
Mas há na seara joio e trigo, que é preciso distinguir.
Não será trigo do mais puro, é trigo turco. Mas também com ele se faz pão.
Quanto ao joio, irá com o vento. E o PSD está em risco de ir com ele.
Quanto ao joio, irá com o vento. E o PSD está em risco de ir com ele.

... com Paulo Portas á espera.
ahp disse…
O discurso de Cavaco é um amontoado de vacuidades, ambiguidades e necedades que em si mesmo nada esclarecem. A única coisa que dele, conjugado com as circunstâncias que o rodearam, se consegue extrair é que Cavaco afinal se "colou" mesmo ao PSD e está zangado com o PS.
O PS é que tem fortes razões para se zangar com ele!
Zé António disse…
Quem lhe terá escrito a prosa? Querem ver que foi o Lima!
Manel disse…
Uma autêntica (Ca)vacuidade que se esfumou num discurso cheio de interpretações pessoais, um mau momento para a República.
Julio Carrancho disse…
Escutei com cuidado o discurso do nosso PR [aqui em Joanesburgo na TV RTPi]. Não percebi nada!...

Mensagens populares deste blogue

Os incêndios e a chantagem ao Governo

O último pio das aves que já não levantam voo