PR desmente os bispos portugueses

O site oficial da presidência da República Portuguesa emitiu na tarde desta Quinta-feira um comunicado, esclarecendo que “conteúdo e o momento” do anúncio da visita de Bento XVI a Portugal, no próximo ano, “foram acordados entre a Presidência da República e o Vaticano, através da Embaixada de Portugal junto da Santa Sé”.

Comentários

Julio disse…
Mantenho: só há uma solução de ACABAR com a farsa do NEGÓCIO de Fátima!
e-pá! disse…
O cardeal patriarca, em comentário junto da Imprensa, tratou este assunto com muita delicadeza e dignidade, desvalozizando quem devida anunciar a visita e quem - ao que parece - ultrapassou um gentlemen's agreement diplomático de retenção deste anúncio, para depois das eleições Legislativas.

O cardeal Policarpo foi muito explícito sobre a oportunidade e as circunstâncias do anúncio. Disse: "Se me pergunta se eu gostava que tivesse sido simultâneo, gostava. Não aconteceu e não há problema nenhum nisso".

O comunicado emitido pela PR no dia 24.09.2009, tem algo de estranho na sua redacção.

"Papa Bento XVI visita Portugal no próximo ano.
Sua Santidade o Papa Bento XVI efectuará uma Visita a Portugal no próximo ano, em resposta ao convite que lhe foi endereçado pelo Presidente da República.

Para lá do programa oficial, Sua Santidade o Papa Bento XVI deslocar-se-á ao Santuário Mariano de Fátima, onde presidirá às cerimónias religiosas de 13 de Maio."


Isto parece-me um daqueles produtos de marketing que inovaram o mercado ao criarem o conceito: "2 em 1"

O Papa desloca-se a Portugal para concelebrar no "Santuário Mariano de Fátima" e como se verifica em todas estas peregrinações apostólicas que o papa promove segundo uma estratégia bem definida cumpre, paralelamente, um programa protocolar com as entidades oficiais do País anfitrião?

Ou o Papa vem a Portugal em visita de Estado, com um programa oficial (que ainda não foi divulgado), e como refere o comunicado PR citado acima ...para além do programa oficial vai a Fátima?

Num segundo comunicado, do mesmo dia, face a perguntas colocadas à Presidência da República por alguns órgãos de comunicação social veio revelar que o conteúdo e o momento desta visita, tinha sido acordado com o Vaticano, por via diplomática...

Portanto, por conteúdo, é de supor que o PR tenha discutido com o Vaticano, através do nosso embaixador na Santa Sé, se em 13 de Maio de 2010, será uma missa cantada, um Te-Deum ou uma novena...
Supõe à revelia da Conferência Episcopal Portuguesa...

Porque quanto ao momento o facto de a visita se realizar a 13 de Maio de 2010, e não em qualquer outra data, esclarece tudo.

O que me parece estultícia é a pia convicção de um presidente de Estado laico de que será capaz de inteferir com os movimentos estratégicos dos papas pelo Mundo.
O melhor é conhecer a razão porque
os pontífices romanos abandonaram a auto-reclusão a que se remeteram depois do Tratado de Latrão.

Finalmente:
O que seria necessário esclarecer, e não foi, é se a projectada deslocação do Papa a Portugal é uma mera retribuição da visita efectuada ao Vaticano pelo casal Aníbal e Maria Cacavo Silva, católicos praticantes e, por coincidência do momento, Presidente da República e respectiva esposa...
E se está prevista alguma visita a Boliqueime...
.
Rasputine Saloio disse…
Era preciso qualquer coisa para desviar a atenção das ultimas broncas e esta noticia vinha mesmo a calhar. Mas até a beatagem não gostou muito desta fuga de informação. Nada corre bem ao sr. Silva.

De qualquer maneira, não me parece que a noticia tenha tido um grande impacto, o prior de Roma não é lá muito popular.

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime