Notas Soltas - Setembro/2009

Venezuela – As manifestações contra o Governo passam a ser equiparadas a «delitos de rebelião civil», com penas entre 12 e 24 anos de prisão, uma deriva repressiva que torna Chàvez um biltre autoritário a caminho da ditadura.

Testamento vital – O direito dos doentes terminais a recusarem tratamento não é um favor do Estado nem uma decisão que o Papa ou o Presidente da República devam impedir, é um sinal de respeito pelos cidadãos que cabe ao Parlamento acolher.

TVI – O saudoso Mário Castrim disse que o canal «nasceu na sacristia e acabou na sarjeta», um diagnóstico certeiro que se tornou profecia, com graves consequências nos processos eleitorais de 2009.

PR – Quando Manuel Pinho fez um gesto obsceno na AR, logo demitido, Cavaco censurou o acto mas, perante uma obscenidade de Jardim para os jornalistas, o mesmo PR remeteu-se ao silêncio numa demonstração de parcialidade partidária.

EUA – Os interesses das companhias de seguros estão acima da saúde pública e dos interesses americanos de tal modo que até Obama tem dificuldade em combatê-los.

Debates eleitorais – Todos deram razões para não se votar neles mas só Manuela Ferreira Leite não deu um único motivo para se votar nela. Foi um erro de casting.

BPN – Sete instituições ligadas à Igreja Católica – congregações religiosas que compraram títulos da Sociedade Lusa de Negócios, no montante de nove milhões de euros – têm o dinheiro retido. Excesso de fé numa instituição pouco recomendável.

Costa Rica – Está em curso a reforma constitucional que pretende acabar com o último Estado confessional da América Latina, tema que aquece a campanha eleitoral perante o azedume dos bispos católicos face aos ventos da laicidade que sopram.

Belém – O principal assessor do PR, Fernando Lima, agiu de modo a pôr em causa o normal funcionamento das instituições e lançou o país numa crise sem precedentes. O PR saiu muito mal e prejudicou o PSD que queria ajudar.

UNESCO – O revés do egípcio Faruk Hosni, evitou um escândalo e a desgraça de colocar na presidência da instituição um anti-semita convicto, ainda que pudesse ter sido útil ao diálogo no Médio Oriente. Para o lugar foi eleita a búlgara Irina Bokova.

Eleições legislativas:

PS – Depois da derrota nas europeias só a grade capacidade de luta e o enorme brilho com que enfrentou os debates permitiram a Sócrates transformar em vitória uma derrota antecipada do PS.

CDS – Foi o partido que mais lucrou nestas eleições mas, por enquanto, Paulo Portas é um perigo maior para o PSD do que para o país.

BE – Francisco Louçã foi o outro grande vencedor, que reuniu votos de protesto à esquerda, transformando um partido com referências trotskistas e estalinistas numa utopia para eleitores urbanos e cultos, averbando a maior subida eleitoral.

PCP – Com eleitorado fiel, coerente com o passado, não merecia tornar-se a 5.ª força partidária, mas a contabilidade eleitoral não se compadece com o passado e ignora a história.

PSD – Com outro líder seria difícil perder as eleições cuja vitória começou a desenhar-se nas europeias mas Manuela Ferreira Leite, sem chama, sem programa e sem convicção, assustou os potenciais eleitores, que se abstiveram ou votaram no CDS.

Comunicação do PR – Medíocre na forma, infeliz na substância e omissa nos factos, revelou o ressentimento de quem se limitou a atirar pedras e a fugir a perguntas dos jornalistas. Quer gerar instabilidade governamental?

Fernando Lima – O principal assessor de Cavaco Silva e presumível conspirador contra o PS, foi ignorado e parece estar no palácio de Belém, em autogestão, a dar milho aos pombos.

Irão – A aventura nuclear continua ao ritmo da demência islâmica à espera de que as democracias, assustadas, respondam com violência depois de esgotadas todas as tentativas de negociação.

Manuela Ferreira Leite – Sacrificada pelos resultados eleitorais e pela inaptidão para a liderança, vai arrastar-se em estado comatoso até à sua substituição. Terminou o cavaquismo no PSD e no país.

Comentários

Anónimo disse…
Chavez diutador?? Qual fonte da noticia???
Ah... engraçado.. na Espanha existe 1 lei que pune quem "injuriar" o rei e outros membros da Coroa. Mas ninguém chama Espanha de ditadura. ALiás... o rei foi desginado chefe de estado pelo democrata de deus, Franco.
Anónimo disse…
http://www.inacreditavel.com.br/novo/mostrar_artigo.asp?id=520
Dupla moral do Ocidente

29/9/2009

Apesar de uma maciça fraude eleitoral, Obama determina que Karzai permaneça no poder

Não é mais possível esconder a dupla moral do Ocidente, com suas absurdas medidas antidemocráticas. Embora mais de um milhão de votos ou um terço a favor de Karzai tenham sido falsificados, o governo Obama decidiu que o atual presidente continue no poder no Afeganistão por mais cinco anos, não importando o resultado da investigação sobre as fraudes.

800 locais eleitorais existem somente no papel e as urnas foram, desde o início, entupidas gritantemente com votos a favor de Karzai. As eleições no Afeganistão são uma farsa. Esta fraude eleitoral promovida pelos países da OTAN transforma as recentes eleições no Irã em modelo de escolha democrática.

E onde estão a mídia e os políticos que se indignaram sobre o Irã? Onde podemos ver agora “Where is my vote?”? Não se ouve qualquer protesto sobre as fraudes eleitorais no Afeganistão. Com isso está provado, depende sempre de quem fez as coisas.

Quando a grande mídia fala em nome do Ocidente, nós sabemos que precisamos de uma pequena tradução para saber quem se esconde atrás dela afim de garantir uma análise "racional e objetiva" - NR.

Quando as marionetes ocidentais falsificam as eleições, então isto está em ordem, da mesma forma como Saddam Hussein era um bom ditador, enquanto conduzisse em nome do Ocidente uma guerra contra o Irã... durante oito anos e com milhões de mortos. Sim, até o gás venenoso foi fornecido pelo Ocidente até a sua porta, para ser usado contra os curdos que lutavam ao lado do Irã. Somente quando ele foi mais “ousado” e não quis mais seguir as ordens de Washington, ele foi pichado mundo afora através de uma maciça propaganda como o ditador mais perigoso do mundo, até comparado a Hitler e então retirado de cena através de uma guerra baseada em mentiras descaradas.

O mesmo jogo acontece com o Irã e o país é ameaçado constantemente com uma guerra. Quem é o real agressor e maior fomentador de guerra neste mundo? Quem promove guerras por toda parte e impede a paz? Somente o Ocidente. Mas a representação é muito diferente, pois a mídia não cumpre seu papel, ela se vendeu e tornaram-se inimigos da verdade.

Embora, a princípio, pareça que o rival de Karzai, Abdullah Abdullah, tenha recebido na realidade após uma correta recontagem, o mesmo número de votos e por isso deveria ocorrer um segundo turno, os líderes dos países da OTAN e invasores decidiram na última sexta-feira deixar Karzai no governo, indiferente qual legitimidade ele tenha perante o eleitorado. Eles têm até a ousadia em dizer que um segundo turno não seria possível devido à proximidade do inverno.

Com isso os países da OTAN deixam claro que a Constituição e a vontade do povo afegão são totalmente irrelevantes e Karzai apenas uma marionete. Este engodo eleitoral é ainda anunciado como “sucesso” por Obama e contradiz por completo sua declaração, querer somente democracia e paz para os afegãos. Que piada mais descarada.

Com isso, o Talibã sai fortalecido e pode concentrar fogo em torno da fraude eleitoral cometida pelos invasores, e receberão mais apoio justificado por parte da população.

Quando o Ocidente comete atos criminosos, parece estar tudo ok, não se deve usar de muita rigidez, tudo é por uma boa causa, sim os fins justificam os meios criminosos.
Anónimo disse…
- Se o Ocidente comete um golpe militar em Honduras e caça o presidente eleito democraticamente, então tudo está OK.

- Se Israel possui armas atômicas, não assina o contrato de não-proliferação de armas nucleares e não permite qualquer inspeção da ONU em suas instalações, então tudo está OK.

- Se em Pittsburg, no encontro do G20, enorme presença policial e até unidades militares dispersam com violência os pacíficos manifestantes, até com canhão de ultra-som, então está tudo OK.

- Se os países ocidentais invadem países, assassinam centenas de milhares, até milhões de civis com bombas e munição de urânio, envenenando grande áreas, então tudo está OK.

- Se o Ocidente destrói as respectivas Constituições, limita liberdade individual e utiliza métodos policiais e cada um é suspeito e pode ser tratado como terrorista, então tudo está OK.

- Se uma marionete do Ocidente, como Sackarschwilli inicia uma guerra contra uma província que quer sua independência e então morrem milhares de civis, então tudo está OK.

- Se Israel simplesmente despeja milhares de toneladas de bombas na área mais densamente habitada do mundo, a faixa de Gaza, e então destrói mesquitas, escolas, hospitais e milhares de residências, matando mulheres crianças, então tudo está OK.

- Se soldados da OTAN ou soldados aliados cometem crimes de guerra, genocídio, atacam propositadamente civis e matam milhares, então tudo está OK.

- E se acontece em seus protetorados uma descarada fraude eleitoral, então tudo está OK.

Depende sempre quem faz as coisas e como as mídias mentirosas vendem-nas. Confirma-se o ditado, quando dois fazem a mesma coisa, não é o mesmo.

Nós perdemos toda dignidade, não temos o direito de impor a ninguém mais neste mundo nosso perverso estilo de vida. Esta dupla moral e hipocrisia, esta arrogância e nojeira, como o Ocidente se comporta perante o resto do mundo é o fim da picada e um dia retornará contra nós.

Alles Schall und Rauch, 29/09/2009

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime