É preciso topete!

Bento XVI defendeu esta Quinta-feira, no Vaticano, que os padres devem “permanecer afastados” de um compromisso pessoal na política, campo que considerou reservado aos “fiéis leigos”.

A entrada dos padres na política, alertou, poderia comprometer “a unidade e a comunhão de todos os fiéis”.

Comentário: Para não falar dos casos de Malta, Irlanda, Polónia e Timor, lembremo-nos das campanhas eclesiásticas contra o PSOE, em Espanha, e do apoio a Berlusconi, antes de serem públicas as suas relações com prostitutas.

Comentários

Julio disse…
B16 dá uma no cravo e outra ferradura, o hipócrita!
O Jesuíta casuísta por excelência, o untuoso!

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime