Avivemos a nossa memória com a memória dos outros


Comentários

septuagenário disse…
Cá os que morreram não falam, os que não morreram ficam em bicos de pés de dedo no ar uns a passar à frente dos outros, de dedo no ar: Olha eu aqui!!!
e-pá! disse…
Uma evocação que se encaixa na 'Ley de la memoria historica' promulgada durante o governo de Zapatero (2007).
Hoje, com Mariano Rajoy, este monumento será muito importante para os 'espanhóis'.
O actual chefe do Governo espanhol nunca aceitou esta lei de (re)conciliação nacional. Afirmou, na altura da sua votação, que a mesma iria 'abrir velhas feridas'. Entretanto, uma vez no poder, não se coibiu de 'abrir novas feridas' criando um obscuro e polémico caso que determinou a expulsão do juiz Baltasar Garzón da magistratura espanhola, até 2022.

Mariano Rajoy prefere refugiar-se na Ley de la Amnistía, de 1977, a exemplo do seu mentor Fraga Iribarne (ex-ministro do ditador Franco). Estas são, contudo, 'outras memórias'...

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido