Uma noite para recordar

A inépcia do Governo, que tinha acabado de trucidar três secretários de Estado sem ter ainda sinecuras para todos os que têm vergonha de continuar no elenco de Portas/Passos Coelho, revelou-se na reação à decisão do Tribunal Constitucional.

A deceção não escondeu a chantagem feita aos juízes e a derrota colossal de quem não tem rumo, memória ou vergonha. Tem apenas a agenda ideológica que só em ditadura é possível.

Uma jornalista perguntou ao porta-voz do Governo que comentário fazia à «decisão por unanimidade», tomada pelo TC. Perante a atrapalhação era altura de lhe ter perguntado que palavra é que não tinha percebido.

O ar do representante do Governo só rivalizou com um dueto saído do Asilo de Belém para desejar a duas vozes votos de Feliz Natal, um número que precedeu em poucos minutos a decisão jurídico-constitucional.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Nigéria – O Islão é pacífico…

Macron e a ‘primeira-dama': uma ‘majestática’ deriva …