Guerra e Paz


Com esta arma perdi alguns camaradas e com ela os militares da FRELIMO, do MPLA e do PAIGC ajudaram a libertar os seus povos numa guerra que não devia ter começado.

Neste inverno, nesta época em que o outono da vida já tomou conta dos sobreviventes, interrogo-me como pode haver quem defenda ainda a mais estúpida, inútil e injusta das guerras – a guerra colonial.

Nunca tantos estiveram do lado errado, por causa do erro que permitiu a um déspota continuar fascista, quando os fascistas europeus se refugiavam nos esgotos, para não serem reconhecidos.

À fome e ao medo de então junta-se agora o medo da fome. Portugal devia ter direito à Paz, ao Pão e à Liberdade.


Que raio de sorte a nossa!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Nigéria – O Islão é pacífico…

Macron e a ‘primeira-dama': uma ‘majestática’ deriva …