A entrevista de Vítor Gaspar

Vítor Gaspar deu uma longa entrevista  a Maria João Avilez, transformada num livro de 368 páginas. Deixo de parte a apreciação que fez da impreparação de Eduardo Catroga para negociar o memorando de entendimento com a troika, situação a que o PSD obrigou o PS.

Assinalo apenas que as respostas do ultraliberal foram certamente dadas por escrito. De outro modo nenhum dos protagonistas viveria para acabar a entrevista.

Comentários

e-pá! disse…
É impressionante como personagens deste Governo se mostram tão apressados em 'escrever' a (sua)história...
Trata-se de um facto para o qual o escritor Jorge Luiz Borges nos alertou ao referir sobre a necessidade de transformação dos símbolos (p. exº. a cruz um instrumento de tortura 'virou' instrumento de fé).
Não li o livro sobre Vítor Gaspar (nem conto ler) mas não me admiraria nada se o símbolo de um terrífico 'ajustamento à pobreza' aparecesse neste momento como um 'profeta da libertação'...
Tolstoi afirmou: "Eu escrevo livros, por isso sei todo o mal que eles fazem"...

Mensagens populares deste blogue

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Nigéria – O Islão é pacífico…

Macron e a ‘primeira-dama': uma ‘majestática’ deriva …