O DN e o seu diretor

O delegado de Portas, Passos Coelho e Cavaco, no DN, João Marcelino, putativo diretor de um órgão onde ainda resistem excelentes jornalistas, usa os editoriais ao serviço do Governo. Parecem redações encomendadas.

Hoje, depois de umas vacuidades sobre a última emissão da dívida pública, finaliza com a defesa da expulsão de António Capucho, assim: «Se o PSD ou qualquer outro partido não reagisse desse modo seria a própria democracia interna que ficaria em causa» [sic].

Se fosse no PCP era estalinismo. Manuel Alegre concorreu contra o candidato oficial do PS a PR, Mário Soares, e não foi expulso. Continuam ambos, aliás, a ser referências do PS. Zenha e Mário Soares foram adversários na luta pela presidência da República e, na segunda volta, Zenha mandou votar em Soares. O estalinismo do PSD é o único que tem direito a comunicados oficiosos.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido