Mais uma adenda à volta do XXV Congresso do PSD

O PS cometeu hoje um clamoroso erro político.
 
A indicação de Francisco Assis para liderar as listas socialistas nas eleições europeias era esperada mas tinha um ‘timing’ definido.
 
Entretanto, o nomeado para liderar a coligação PSD/CDS, Paulo Rangel, desafiou, no Congresso deste fim-de-semana, com alguma virulência (‘quanto antes’!, e outros 'piropos'), o PS a indicar já o seu cabeça de lista link.
 
O anúncio de hoje, por parte do PS link, é uma alteração da data aprazada (5 de Março), que era entendida como integrante de uma estratégia eleitoral, i. e., após o Congresso do PSE link.
 
Esta mudança de atitude revela algo que é impensável. Isto é, fica a sensação de que a agenda política do PS foi colocada a reboque dos interesses da coligação governamental.
 
Ao que tudo indicia e sem melhores explicações é com um erro deste calibre que o PS  abre a campanha para o parlamento europeu.

Comentários

victor sousa disse…
realmente não há outra interpretação!
Chega a ser patética tão grande incoerencia! Ainda por cima, por imposição laranja!
Também é a minha opinião.
Concordo com o post. Mas,a meu ver, o pior erro do PS foi a escolha do candidato. Assis representa a extrema direita do PS; a maioria dos militantes e dos simpatizantes não se revêem nas posições que ele tem assumido, designadamente a de que, vencidas as eleições, o PS deve aliar-se com os partidos de direita.
A mim e a muita gente repugna a ideia de que, tendo o PS ganho as eleiçõs, continuem no governo alguns dos piores crápulas que agora governam.
Tal será motivo para que muitos simpatizantes não votem no PS nas eleições europeias. A começar por mim.

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

Efeméride – 30 de outubro de 1975