Eleições regionais em França

O terror é o principal motivo de atração pelo fascismo islâmico e o medo que este induz foi o maior estímulo para a vitória eleitoral da extrema-direita.

Hesitando entre a liberdade e a segurança, a democracia e a xenofobia, a civilização e o medo, os franceses escolheram o populismo da extrema-direita, convencidos de que esta os salvará dos perigos que espreitam o mundo à escala global.

O diretório da União Europeia só se preocupa com a vitória de partidos de esquerda.

Comentários

Manuel Galvão disse…
Carlos Esperança, não me parece correto falar de fascismo islâmico, fascismo cristão ou fascismo nazi. Até porque os autores dos recentes massacres em França nenhum delas era muçulmano radical. Todos nasceram na França ou Bélgica e não tinha antecedentes de serem praticantes do Islão. A trata da conversão direta ao islão radical por parte de jovens não crentes a mim não me convence. Eram indivíduos desenquadrados socialmente e sedentos de vingança contra uma sociedade que os segregava e humilhava. Aderiram ao Islão radical como solução de suas vidas como poderiam ter aderido às Brigadas Vermelhas se elas ainda existissem. Trocaram dois anos de enquadramento numa organização que lhes pareceu acolhedora e respeitadora da sua dignidade, por uma morte rápida e aparentemente gloriosa...
Manuel Galvão:

Agradeço-lhe, naturalmente, o seu comentário e considero necessário o contraditório mas mantenho a minha convicção. Abraço.
Manuel Galvão disse…
Mais cegos são aqueles que não querem ver:

http://sputniknews.com/europe/20151120/1030423109.html
Manuel Galvão disse…
E já agora aqui, para que não se diga que a opinião russa está inquinada de outro totalitarismo:

http://www.city-journal.org/2015/eon1208bw.html

Mensagens populares deste blogue

Nigéria – O Islão é pacífico…

A desmemória e a dissimulação

Miranda do Corvo, 11 de setembro