As próximas eleições presidenciais_2

Não tenho a arrogância ou a vaidade de pensar que consigo atrair qualquer voto para o candidato que apoio, mas seria indigno fugir, neste momento dramático, à intervenção cívica.

Vou votar Sampaio da Nóvoa na primeira volta e, se acaso não for ele o 2.º mais votado, votarei em qualquer candidato de esquerda contra o candidato do partido único (PàF).

Não podemos admitir que a comunicação social imponha um PR, ainda que, desta vez, a direita tenha um candidato inteligente, culto e impoluto nos negócios e na gramática. Marcelo jamais dirá «Não fiz, não faço, nem façarei», nunca faltará com o ‘h’ ao verbo ‘haver’, não faria a afronta de ignorar a morte do único prémio Nobel da Literatura portuguesa ou de atribuir pensões a pides, por altos serviços à Pátria. Não envergonharia os portugueses, mas em política é apenas o Cavaco culto, urbano, inteligente e perigoso.

Marcelo é perigoso pela instabilidade política que incitaria o ungido da coligação PÀF, que espera a desforra da derrota nas eleições legislativas. E, por mais que se esforce por disfarçar, por mais que deseje ver longe figuras patibulares, Passos Coelho e Portas, foi ele o artífice e intriguista que na Figueira da Foz conduziu Cavaco à vitória contra João Salgueiro.

Foi ele e a mulher, acompanhados do casal Durão Barroso, em casa de Ricardo Salgado, que ajustaram a candidatura de Cavaco Silva, aí presente com a sua inseparável prótese conjugal, à espera da unção do banqueiro. Era deplorável que o PR cessante e o seguinte saíssem da vivenda de um banqueiro com cadastro.

Quando Marcelo diz que se candidata para pagar a dívida que tem para com o país, não se refere certamente ao mal que o pai e o padrinho fizeram, de que não é culpado, pensa naturalmente no mal que fez com Cavaco Silva, como PM e PR.

Por mim, absolvo-o da dívida. Basta-me a dúvida sobre o perigo que representa.

Passos Coelho e Paulo Portas ainda queriam outro pior mas para mal já sobrava assim.

Precisamos de outro.

Comentários

andanças disse…
amigo
aquele abc
eu comungo com o que escreveu e claro voto sampaio da novoa
ate me inscrevi na comissão para ajudar no que for preciso
aquele abraço
Luciano leal
Jaime Santos disse…
É verdade que Marcelo Rebelo de Sousa não tem negócios que poderá ter que explicar, como Cavaco tinha (ações do BPN, casa da Coelha) e nunca explicou. Também não deu cobertura a um assessor seu que foi espalhar insinuações para os jornais de natureza gravíssima (inventona de Belém), sendo que o País nunca percebeu o que Cavaco quis dizer com aquela enigmática declaração depois das eleições de 2009 (o PS não insistiu nessas explicações e fez mal). Mas, se olharmos para o Passado mais longínquo, eu diria que o Professor tem um problema de carácter. Para além daquela carta a Marcelo Caetano que aqui (e bem) publicitou (e a pergunta que deve ser feita é o que Marcelo esperava obter com isso, já que seguramente o seu Padrinho estaria mais que informado sobre o que se passou em Aveiro, para além da violação do dever ético do jornalista que Marcelo era). Depois, temos toda a sua história como membro do Governo de Pinto Balsemão (http://ionline.pt/400912?source=social), em que Marcelo foi tudo menos leal com o seu Patrão e posteriormente Chefe no Governo. Mais recentemente, temos toda a questão da simbiose entre o Comentador/Entertainer/Político Encapotado e a TVI. É esta pessoa que nos preparámos para eleger PR (seguramente não com o meu Voto)? Dirão que se trata de um ataque pessoal, mas para o cargo de Supremo Magistrado não precisamos de alguém com este curriculum. O seu percurso pessoal é altamente relevante, para além das suas afinidades políticas, essas igualmente de rejeitar, mas por razões ideológicas, no seu caso e no meu...
Jaime Santos:

Obrigado por este excelente e oportuno comentário que enriquece a discussão das presidenciais.

É preciso avisar a malta...
Agostinho disse…
Para mim foi decisivo o Sampaio da Nóvoa ser "rejeitado" por não "ser conhecido" precisamente pelos que são conhecidos de ginjeira. Os interesses que certa gente pretende garantir são a razão deste país continuar a marcar passo. É pois naquele candidato que vou votar.
Quanto ao sr. comentador é fácil de adivinhar a razão pela qual foi mantido em antena, em todas as TVs, durante anos a fio.
Quando os "patriarcas" se reunem decidem: X e y vão para a televisão comentar para que a populaça fixe a cara em que vai votar. Ora, o sr. professor Marcelo tem sido mantido em espera para este momento crucial da vida do país. Por que será? Para que será?
Jaime Santos disse…
O que eu disse sobre Marcelo é obviamente extensivo aos outros candidatos. O seu curriculum de intervenção política e cívica deve ser analisado à lupa, tal como o seu manifesto. É com algum espanto que constato que a fação segurista do PS (porque é uma candidatura de fação de que se trata, Pacheco Pereira tem nisso toda a razão) não conseguiu como candidata mais do que alguém que foi uma sofrível Ministra da Saúde e que só foi mantida no Governo seguinte de Guterres num posto criado de propósito para ela. Isto mostra até que ponto a estratégia basista de Seguro alienou as elites do PS. O PS teria duas excelentes candidatas, já que é bem altura de elegermos uma Mulher para a Presidência da República, a saber, Elisa Ferreira e Maria João Rodrigues. Infelizmente, as fraturas internas dos Socialistas levaram-nos a isto. Por outro lado, devo dizer que quer Sampaio da Nóvoa quer Marcelo Rebelo de Sousa se arriscam, no caso de um ou outro serem eleitos, a sofrerem a tentação eanista de intervirem diretamente na Política. O programa do PR é, e só, a CRP... Será bom que no debate e Campanha Eleitoral que se seguem, tiremos tudo isto a limpo...

Mensagens populares deste blogue

Nigéria – O Islão é pacífico…

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Macron e a ‘primeira-dama': uma ‘majestática’ deriva …