Gambia: Um incêndio que alastra…

Jammeh desfilando com o Corão e adornos religiosos em ambas as mãos

O presidente da Gâmbia, Yahya Jammeh, tristemente conhecido por perseguir os homossexuais e pela reintrodução da pena de morte, protagonizou hoje um novo episódio mediático ao ‘transformar’ o seu País num ‘Estado Islâmico’.

As ‘justificações’ para tal proclamação são inconcebíveis. Jammeh afirmou que “…a Gambia não pode dar-se ao luxo de continuar o legado colonial”. link

Esta 'boutade' é proferida num País que acedeu à independência há meio século (1965). Ninguém ignora que muitos dos desmandos dos países africanos têm raízes no passado colonial mas tal facto não justifica tudo e principalmente todos os governantes (pós-coloniais) que por livre arbítrio, convicção política, jogos étnicos, divisões religiosas ou por lastro cultural adoptaram a ditadura como modo e modelo de governação. 

A ‘culpa colonial’ e os ‘pesadelos’ inerentes ao histórico da exploração de uns povos pelos outros (génese do colonialismo) não podem ser um eterno de álibi para branquear as prepotências de hoje.

A Gâmbia, segundo a Constituição em vigor, é definida como um sendo Estado secular. Esta será a uma nítida e visível 'herança colonial' que, passados 50 anos, é ostensivamente ignorada por conveniências ditatoriais.

Uma modificação da lei fundamental não poderá ser adquirida por mera intenção presidencial como foi recordado pelo líder da Oposição, Ousainou Darboe (do Partido da União Democrática), ao actual presidente link, embora o problema não seja a formalidade constitucional que, como sabemos, de nada vale numa ditadura.

É de supor que a declaração do presidente da Gâmbia não seja um alinhamento directo com o Daesh e a sua adesão ao 'califado'. Não sabemos qual o conhecimento - ou a ignorância - que o ditador tem do dramático contexto internacional. A única coisa que temos conhecimento é que se trata de (mais) um fanático crente islâmico. O que não sendo condição suficiente é bem necessária para gerar dislates deste tipo.

Tratar-se-á, isso sim, de alinhar mais um País predominantemente islâmico com a imposição do código da ‘sharia’ o que não sendo inédito no Mundo não deixa de ser, em termos civilizacionais, muito preocupante.  

Jammeh em pleno acto de cura da SIDA
Mas nada nos poderá espantar na boca de um ditador que, depois de um golpe de Estado, governa este país há 21 anos (sem qualquer escrutínio) e teve a ousadia (desplante) de anunciar - há alguns anos - um miraculoso tratamento da SIDA (que infesta o seu País) à base de tratamentos homeopáticos e fitoterápicos link.

Os “Papa Doc´s” não se esgotam nos Duvalier, nem se circunscrevem ao martirizado Haiti. Nascem como cogumelos à sombra das ditaduras que exploram a ignorância.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

Efeméride – 30 de outubro de 1975