23 de Fevereiro de 1981


Enquanto Espanha permanece mergulhada numa profunda crise política, decorrente dos resultados das eleições de 20 de Dezembro 2015, não é despiciente relembrar o que sucedeu há 35 anos, nas Cortes de Madrid, onde se viveu este escabroso momento fascistóide (na foto) sob a batuta do serventuário Tejero de Molina às ordens do general Milans del Bosch.

Marx escreveu (18 de Brumário de Luís Bonaparte): A história repete-se a primeira vez como tragédia e a segunda como farsa.
Estaremos 35 anos depois a viver a farsa?

Comentários

O papel do rei e do seu percetor nunca foram esclarecidos.

E talvez devessem!

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido