O cartaz que fere o bom senso político (e só isso…)



O cartaz publicado pelo Bloco de Esquerda relativo à discriminação da adopção é lamentavelmente infeliz. Não está em causa a liberdade de expressão e de pensamento. Existe, de facto, liberdade para o BE fazer o que fez. 

O que foi deturpada foi a capacidade política de comunicar com a população. E a falta de argúcia para fundamentar a comunicação por imagens no contexto real. Não vale a pena discutir nem conduz a bons resultados misturar pressupostos contextos biológicos e fisiológicos e convicções sobrenaturais. 
É uma argolada confundir – ou meter no mesmo saco - questões sociais reais e prementes, envolvidas em especulações biológicas e reprodutivas com mitologias divinas, apostólicas e/ou esotéricas.

A adopção da personagem Jesus, que é um dos pilares religiosos para os católicos embora não tenha um percurso histórico claro e credível, não informa qualquer conteúdo legislativo e não consegue influenciar os fundamentos da sociedade moderna (malgré os esforços do papa Francisco). 
A crença no livro (Bíblia) é baseada em ‘verdades de fé’ e diz respeito a questões místicas e sobrenaturais. 
Nada tem a ver com problemas reais que fustigam a sociedade como são os problemas de direitos e deveres de parentalidade, de discriminação e de adopção.

Não se percebe, portanto, a correlação que o despropositado cartaz pretendeu fazer. Na verdade, tem de existir num País laico um amplo campo de liberdade religiosa onde todos têm lugar desde os praticantes religiosos, aos agnósticos terminando nos ateus. Quando se decide imiscuir símbolos religiosos na comunicação política é necessário ser prudente, revelar bom senso e razoável. Se assim não for poderemos estar a fazer um péssimo uso da liberdade religiosa, um inestimável bem que deve ser preservado a todo o custo. 

Muitos dos problemas que fustigam hoje o Mundo passam pela marginalização ou derrogação dessa liberdade. Mais uma razão para que o BE tivesse adoptado uma atitude comunicativa mais pensada, estratégica e esclarecida (diferente de censura).

O  bom senso é um bem escasso que temos muitas vezes necessidade mas que não se vende na Farmácia, nem se consegue incutir nas Escolas, Institutos ou Faculdades ou em mesas redondas, convénios, simpósios, etc.

Comentários

mensagensnanett disse…
BANDALHEIRA: pessoal que não se preocupa com a construção duma sociedade sustentável (média de 2.1 filhos por mulher)... critica a repressão dos Direitos das mulheres... todavia, em simultâneo, para cúmulo, defende que... se deve aproveitar a 'boa produção' demográfica proveniente de determinados países [nota: 'boa produção' essa... que foi proporcionada precisamente pela repressão dos Direitos das mulheres - ex: islâmicos]... para resolver o deficit demográfico na Europa!?!?!
.
.
AUTARCAS EM GRAVE DESLEIXO
Uma riqueza que as regiões/sociedades não podem deixar de aproveitar
.
-» Muitas mulheres heterossexuais não querem ter o trabalho de criar filhos... querem 'gozar' a vida; etc;
-» Muitos homens heterossexuais não querem ter o trabalho de criar filhos... querem 'gozar' a vida; etc;
CONCLUINDO: é uma riqueza que as sociedades/regiões não podem deixar de aproveitar - a existência de pessoas (homossexuais ou heterossexuais) com disponibilidade para criar/educar crianças.
.
---» Já há mais de dez anos (comecei nos fóruns clix e sapo) que venho divulgando algo que, embora seja politicamente incorrecto, é, no entanto, óbvio:
- Promover a Monoparentalidade - sem 'beliscar' a Parentalidade Tradicional (e vice-versa) - é EVOLUÇÃO NATURAL DAS SOCIEDADES TRADICIONALMENTE MONOGÂMICAS...
{ver blogs http://tabusexo.blogspot.com/ e http://existeestedireito.blogspot.pt/}
.
.
.
P.S.
Tal como eu explico no blog «http://tabusexo.blogspot.com/» - o Tabu-Sexo não se tratou de um mero preconceito... foi, isso sim, uma estratégia que algumas sociedades adoptaram no sentido de conseguirem Sobreviver... leia-se: o Tabu-Sexo tinha como objectivo proporcionar uma melhor Rentabilização dos Recursos Humanos da Sociedade... leia-se, o verdadeiro objectivo do Tabu-Sexo era proceder à integração social dos machos mais fracos!!!
.
P.S.2.
Uma sociedade/região, para sobreviver, precisa de (como é óbvio ) possuir a capacidade de renovação demográfica.
.
P.S.3.
Existem autoridades de sociedades/regiões (que estão sem capacidade de renovação demográfica) em desleixo:
- não monitorizam/motivam/apoiam uma riqueza que não podem deixar de aproveitar -> a existência de pessoas (homossexuais ou heterossexuais) com disponibilidade para criar/educar crianças.
MR disse…
Eu acho que a única liberdade é laica. A República laica, tolera as religiões, aquando do foro pessoal. Quanto ao cartaz do BE, penso que podem escrever que Jesus tinha dois país, pois segundo o excelente evangelho de Saramago isso é uma realidade.
Plácido disse…
Não éramos todos Charlie?
Manuel Galvão disse…
A Direita quando está no poder, afronta a esquerda nos seus valores. Está mal!

A Esquerda, quando sobe no poder, afronta a direita nos seus valores. Está péssimo! Porque promover o respeito mútuo é um valor que é de esquerda.

Foi um mau passo do Bloco...
e-pá! disse…
Para usar uma linguagem 'marketeira(Br)' o cartaz do BE 'cheira' a "shockvertising', desgraçadamente feito por amadores, em tempos de "buzzing"...
Tamanha bagunçada tem um preço.

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido