Momento de poesia

A minha boca já é um deserto…

A minha boca já é um deserto,
porque as palavras fogem e não regressam…

É o buraco negro do meu imenso firmamento
que engoliu todas as estrelas contadas
nas noites ácidas da solidão…

E é na alegria da sombra de um oásis
que as palavras resistem ao esquecimento,
esperando o vento, que as liberte…

Alexandre de Castro


Lisboa, Junho de 2016

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Vasco Graça Moura

A lista VIP da Autoridade Tributária