Falso padre tão bom como os verdadeiros

Agostinho Coutinho Caridade, de 34 anos, natural de Barcelos, andou dois anos pelo concelho da Trofa. Terá celebrado dois casamentos e um baptizado, segundo rezam os livros da paróquia de Alvarelhos. Nas missas, "emocionava as pessoas", recorda a paroquiana.

Comentários

Anónimo disse…
Se fosse falso médico já estaria preocupado, não?
Esquece-se o senhor que um padre ouve confissões e está obrigado ao silêncio, já um falso padre pode fazer com elas o que quiser.

PS: Ser ateu é uma crença igual às outras Afirmar a inexistência de Deus é tão válido como afirmar a sua existÊncia, é uma questão de fé.
Anónimo Qua Jun 27, 06:30:00 PM:

É tudo uma questão de fé.

Acreditar no sigilo da confissão é uma questão de fé.
Anónimo disse…
Este Agostinho Caridade parece que também andou no seminário!!!

Que COINCIDÊNCIA !!!!

ih ih ih ih ih ih ih
Manuel Norberto Baptista Forte disse…
Ao fim e ao cabo são humanos como os outros.
Anónimo disse…
Quem nunca pecou atire a primeira pedra!

Além disso, ele espalhou a Palavra de Deus e você?

Mensagens populares deste blogue

Nigéria – O Islão é pacífico…

A desmemória e a dissimulação

Miranda do Corvo, 11 de setembro