A imprensa que temos

Fonte ligada à investigação do escândalo Portucale fez chegar ao JN elementos que envolvem, através da escuta de conversas telefónicas, três membros do actual Governo e uma figura destacada do PS.
DN, hoje in Editorial.

***
O procurador-geral da República (PGR) nega, em comunicado, que tenham sido "recolhidos quaisquer indícios de crime praticado por membros do Governo PS, contrariamente ao divulgado por alguma imprensa".
DN, hoje in Nacional.

Em que ficamos?

Comentários

Anónimo disse…
Ainda bem qu escreveu um poost sobre isto, apesar de ter apagado o ocmentário anterior e não o tr transferido para aqui, nem respondido ao desafio.

No parágrafo:
O procurador-geral da República (PGR) nega, em comunicado, que tenham sido "recolhidos quaisquer indícios de crime praticado por membros do Governo PS, contrariamente ao divulgado por alguma imprensa".

O que é que é exótico?
O que é que não pode ser escrito pela PGR?

el s
Anónimo disse…
O procurador-geral da República (PGR) nega, em comunicado, que tenham sido "recolhidos quaisquer indícios de crime praticado por membros do Governo PS, contrariamente ao divulgado por alguma imprensa".

devia ser

O procurador-geral da República (PGR) nega, em comunicado, que tenham sido "recolhidos quaisquer indícios de crime praticado por membros do XVII Governo Constitucional, contrariamente ao divulgado por alguma imprensa".

os governos institucionalmente não têm tonalidade política.
El_s:

Não apaguei o seu comentário. Transferi-o para o «Espaço dos leitores onde o encontrará.

Peço-lhe que não repita comentários alheios ao post em cuja caixa os coloca pois serão apagados para não perturbar as discussões.

Nada o impedia de o ter colocado aqui.

Quanto à observação que faz à PGR tem razão.
Mano 69 disse…
É (mais) uma cavala!

Mensagens populares deste blogue

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Nigéria – O Islão é pacífico…

A desmemória e a dissimulação