Não se pode trocar pela Turquia?


Comentários

pai de família disse…
Muiro lúcida, a posição da Polónia.
Neste momento, é a guardiã da verdadeira Civilização Europeia, Cristã, temente a Deus, opositora do deboche, da cultura de morte e da homossexualidade.
A Polónia é a esperança, o último reduto, a barreira contra a depravação e o retrocesso civilizacional que vivemos.
Valha-nos isso, graças a Deus, que há na Europa um país liderado com valores sólidos.
Anónimo disse…
Trocar a Polónia pela Turquia, é ir de cavalo a burro.

O 1º comentário revela bem o medo que se instalou neste país, à beira mar plantado...e eu, que vi no 25 d'Abril o abrir de portas a um Portugal livre e democrático, vejo agora, um país de bufos onde o medo se voltou a instalar.

O meu país não merece...
jagudi disse…
O Ponte Europa está a ser assediado por uma tropa de fundamentalistas reaccionários (nem o nome de fascistas merecem), que vêm aqui fingir o medo que não sentem, as preocupações que não têm, e as lamentações em que não acreditam.
São fariseus por hábito encasquetado, hipócritas por lesão do fórceps, e aldrabões por fezada.
Estavam bem numa certa Polónia, a dos irmãos gémeos. Que ainda hoje não sabem ao certo a quem baixar as calças, se aos nazis, se aos bolcheviques.
e-pá! disse…
A Polónia, na actual situação política, só compreende uma linguagem.
Aquela que lhe faça doer...
Se a CE lhe cortar os fundos comunitários, os irmãos Kaczynski, ajoelham-se (como bons cristãos que são).
Anónimo disse…
Tanto a Polónia como a Turquia são não merecem estar numa comunidade que se pretende, democrática e socialmente justa...qualquer dia, até Portugal, vai ser posto na linha por comportamento pidesco, anti-democrático e socialmente injusto.

Nem vale a pena inumerar os casos, são tantos e tão tristes.
Point of View disse…
Não quero acreditar que o comentário do pai de família seja sério e reflicta o pensamento de alguém. Não quero acreditar que se preconize os valores impostos pelos irmãos Kaczynski para qualquer sociedade evoluída. Não quero acreditar que alguém seja favorável ao saneamento de pessoas pelo simples facto de terem pertencido ou pertencerem a um partido político (proposta desses dois gémeos). Não quero acreditar que alguém seja favorável a processos de censura e retirada dos manuais escolares autores como Goethe e Dostoyevsky. Não quero acreditar que esta seja a "esperança, o último reduto, a barreira contra a depravação e o retrocesso civilizacional".

Porra... Não quero acreditar...

Aqui fica um contributo para a discussão (um artigo publicado no SPIEGEL ONLINE)

"Poland's Prime Minister Jaroslaw Kaczynski has reassured the nation that schools will continue to teach classic works of literature, both Polish and foreign.

He was stepping in to overrule his own education minister, Roman Giertych, who had announced last week that classics includig the works of Goethe, Dostoyevsky, Kafka and the Polish-born Josef Conrad were to be dumped in favor of nationalist or Catholic authors like Henryk Sienkiewicz and the late Pope John Paul II. The aim was to instil patriotism in Polish youngsters.

But Giertych's boss has now called him to heel. "Of course there will be no abolishing the classic Polish and foreign literature of the 19th and 20th centuries," Kaczynski said on Polish radio earlier this week. "The classics are staying." And he added: "If this was supposed to be a joke, it wasn't a good one."

Giertych is the leader of the ultra-conservative League of Polish Families (LPR), part of the Polish governing coalition (more...). When he announced his new improved reading list for school kids last week, there was immediate outrage in Poland, not just among the cultural elite but also from teachers, parents and schoolchildren.

Several bookstores planned to fill their shop windows with the works to be banned from schools in protest. The Polish PEN club and several intellectuals accused the minister of a literary-cultural cull and complained that the move was reminiscent of communist-era censorship.

Culture Minister Kazimierz Ujazdowski of the Kazynski twins' national conservative Law and Justice Party (PiS) even criticized his cabinet colleague and said that plans to also remove icons of Polish modernism such as Witold Gombrowicz and Stanislaw Witkiewicz, should also be shelved. "Excluding authors who show the weak side of Poland doesn't do anything for real patriotism," he said.

Giertych seems to like courting controversy. He has called for a complete abortion ban in Poland and spoken of banning "homosexual culture" in schools. According to Germany's Die Tageszeitung newspaper, the minister reacted badly to his boss's intervention on the school reading list: "The coalition partners don't show the slightest loyalty."

Mensagens populares deste blogue

Nigéria – O Islão é pacífico…

A desmemória e a dissimulação

Miranda do Corvo, 11 de setembro