A comunicação de Cavaco Silva ao País

O PR anunciou hoje a data conhecida das eleições para o Parlamento Europeu. Para tal, interrompeu os noticiários, dispensando o Faceboock.

Aproveitou para dizer que as eleições em causa são para o Parlamento Europeu e não para outro fim o que, na sua mansidão, quis dizer que o seu Governo e ele próprio não estão em causa.

Concordo em quase tudo com o PR, com a data marcada, que tem de ser anunciada com um mínimo de 60 dias, com a comunicação através da televisão, em vez do faceboock, e com o horário escolhido, altura em que o noticiário impede que se desligue o televisor.

A única diferença está no sentido do voto. Votar em qualquer partido que não seja os do Governo é um voto contra o PSD, o CDS e o PR, três em um.


Nunca uma derrota estrondosa foi tão necessária para punir os principais responsáveis pelo agravamento sucessivo da crise. Um voto contra a coligação é a catarse mínima do povo que a tem suportado. 

Comentários

e-pá! disse…
A comunicação do PR sobre as eleições europeias deu a sensação que na ansia de poupar o actual Governo, Cavaco Silva, 'esqueceu-se' que, por enquanto, ainda somos parte da UE embora os referendos nacionais sobre tratados europeus tenham sido convenientemente adiados, postergados ou anulados.

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido