Relembrar Cavaco

Recordo hoje o farol da ética visto por outro igual, mas muito mais inteligente e com um domínio da língua incomparável:

«Cavaco - O tempora o mores!

1993, Cavaco em Salzburgo, pago pela Nestlé e criticado por Paulo Portas em O Independente.

«Na notícia do Indepente, escrita por Paulo Portas, pode ainda ler-se que “nós pagámos o Falcon e a Nestlé pagou o resto – os bilhetes para o festival, a estadia na suite presidencial do melhor hotel da cidade e um passeio para ver as vistas. Tudo confirmado pela multinacional. (...) Foi assim que pela primeira vez um primeiro-ministro português se deslocou ao estrangeiro a convite de uma empresa privada."

"O homem que confunde Thomas Mann com Thomas More está no seu legítimo direito quando faz alguma coisa para se cultivar. (…) Seja qual for a importância da causa, o cidadão Aníbal Cavaco Silva não pode obrigar quem paga impostos a financiar-lhe despesas de elevação espiritual (…)”

"O PSD agarra[-se] ao Estado como a lapa à rocha. Se o dr. Cavaco o tentar arrancar de lá, fica sem unhas."

"Quem olhar a elite política reconhecerá semelhanças com A Mala de Cartão. É de admitir que Linda de Suza tenha primos e mais primos no poder e na oposição."

"É um erro acreditar que são bons os que nasceram assim e maus os que nasceram assado. Pelo contrário, os mais elevados critérios de apreciação de um político são os factos do seu carácter e da sua dignidade."».

http://entreasbrumasdamemoria.blogspot.pt/2017/08/cavaco-o-tempora-o-mores.html

POSTED BY JOANA LOPES»

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Os incêndios e a chantagem ao Governo

Vasco Graça Moura