UM GOVERNO POLUENTE

Este governo e a coligação que o suporta vêm há muito poluindo o País em sentido figurado. Poluem com a sua falta de dignidade, de elevação e até de vergonha. Poluem com as suas sistemáticas mentiras, os seus insultos, o seu desprezo pelo Povo que deviam servir. Poluem com os seus ignóbeis discursos, que “têm o dom de tornar as almas mais pequenas”, como os do “Velho Abutre” do poema de Sophia de Mello Breyner publicado no tempo da ditadura salazarista. Poluem impondo-nos a presença enxundiosa da execrável Frau Merkel. Poluem com a sua miserável subserviência perante potências estrangeiras, que chega a roçar a traição à Pátria.

Mas como se esta poluição moral não chegasse e sobrasse, querem agora poluir o País no sentido literal da palavra. O alvar Álvaro, ministro da destruição da economia, veio há dias dizer que as regras vigentes sobre a proteção do ambiente são muito “fundamentalistas” e têm de ser “flexibilizadas”; que, para sermos “mais competitivos”, temos de baixar a fasquia da defesa do ambiente ao nível de “outras regiões do Globo” – certamente os países do chamado “terceiro mundo”.

Isto é: no entender do governo, o ambiente de que vamos usufruindo também está “acima das nossas possibilidades”; não podemos dar-nos ao “luxo” de o proteger. Há que deixar poluir!

O antigo presidente francês De Gaulle tinha “une certaine idée de la France” – uma ideia de grandeza. Este governo e esta coligação também têm “uma certa ideia de Portugal”: a de o transformar no caixote do lixo da Europa.

Comentários

e-pá! disse…
O actual 'cavalo de batalha' do ministro Álvaro, é 'industrializar' a qualquer preço (ele chama-lhe 'flexibilização') e já provocou 'ondas de choque' no interior de um Governo completamente à deriva, sem qualquer coordenação em que cada uma fala sem pudor nem tino.
Mas o País deve entender os planos do ministro Álvaro. Ele, vindo do Canadá, onde lecciona, tornou-se um aficcionado das explorações mineiras. Grande parte das empresas que instalaram ou pretendem instalar-se no nosso País para a exploração de recursos naturais provêm do Canadá, nomeadamente o grupo 'Colt Resources'.
Álvaro é um ministro a prazo. O numero 2 do PSD, o jotinha Moreira da Silva, caiu-lhe em cima por causa da sua 'política industrial', sem preocupações ambientais.
É se supor que quando regressar ao Canadá - depois desta experiência governativa - venha a ter um trabalho mais 'flexível' e, provavelmente, melhor recompensado...

São coisas do mundo /
Retalhos da vida /
São coisas de qualquer lugar /
Mas se eu fico mudo /
Esse mundo imundo /
É capaz de me tentar mudar'
...

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime