PASSOS COELHO: um aprendiz de incendiário …

Passos Coelho e outros membros do Governo, não perdem uma oportunidade para desestabilizar o País e lançar a confusão.

Em Penela, no doce remanso da inauguração de um hotel de quatro estrelas, volta à carga com o anúncio de um novo ‘ajustamento’. Disse referindo-se aos reformados e pensionistas: "Queixam-se de lhes estarmos a pedir um esforço muito grande"… e , acrescentou: "descontaram para ter reformas, mas não para terem aquelas reformas". link

Pena que não tenha sido capaz de especificar quais eram ‘aquelas’ reformas. Mas esta atitude de lançar barro à parede a ver se cola é uma atitude política compulsiva que este primeiro-ministro não consegue libertar-se.

Não contente com ‘isso’, lança-se na saga de culpabilizar os funcionários públicos por auferirem reformas que "não correspondem ao valor dos descontos que essas pessoas fizeram…". link. Mais uma vez não apresenta dados. Alimenta secretas convicções (suposições) que utiliza como se fossem factos ao sabor de conveniências orçamentais e de ocultos modelos ideológicos.

Embalado, saí de Penela e dirige-se para a luminosa estância turística-político-religiosa de Fátima, onde docorria o XXII Congresso da JSD, adiantando que estes pensionistas que estão "a receber mais do que descontaram", são pagos "por quem está hoje a trabalhar". link . Teve uma 'visão'!

Este primeiro-ministro é um político medíocre mas um inveterado provocador. Começou por tentar dividir os trabalhadores entre públicos e privados (já o fez no OE 2012). Agora (no OE-2013), ao separar os activos dos reformados pretende ainda, entre estes últimos, lançar a discórdia. Segundo esgrime os reformados oriundos do sector público terão melhores reformas do que o do sector privado. No entanto, não é capaz de correlacionar esta comiceira boutade com dados concretos sobre diferentes tipos e modelos de carreiras contributivas.
E, para cúmulo, remata - tentando despertar (acentuar) uma crispação inter-geracional -  que todos os reformados, no seu entender, seriam ‘pagos por quem está hoje a trabalhar’…

Bem. O que fazer com este diletante 'incendiário'?

Comentários

Essa diatribe do menino Passos Coelho contra os reformados provoca asco. Tudo o que se diz no post é a pura verdade, pelo que não vou repisar.Só mais uma nota: o trampolineiro falou nas "reformas mais elevadas",para que os menos informados pensassem que ele se referia às "pensões douradas", quando na verdade o seu orçamento penaliza com uma pesadíssima sobretaxa especial todas as reformas, públicas e privadas, superiores a ... 1350 euros!
Kurcudilo disse…
Asquerosa criatura esta, que Portugal tem como Primeiro Ministro !
Kurcudilo disse…
Asquerosa criatura esta, que Portugal tem como Primeiro Ministro !
antonio cadete disse…
..E se,..e para todos os portugueses...a reforma fosse com um teto máximo de 6 ordenados mínimos, independentemente do que se tivesse descontado?..não é na reforma que vamos enriquecer!!não?

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime

Insurreição judicial